Uma febre chamada Among Us

Um dos jogos mais assistidos e jogados do momento é Among Us, um game bastante simples que pode parecer idiota quando visto superficialmente, mas que tem conquistado um público gigantesco e pode ser mais interessante do que você imagina. Você confere agora: A febre de Among Us.

30/09/2020 Última edição em 30/09/2020 às 07:59:57

Desde que Minecraft se tornou um fenômeno, todo mercado de jogos independentes se expandiu bastante e novos horizontes se abriram. Desde então, vemos cada vez mais desenvolvedores apostando em suas ideias loucas e transformando-as em jogos, o que deu origem a diversos sucessos, como Five Night’s at Freddys e Undertale. Agora, o jogo do momento é novamente um Indie, dessa vez focado no Multiplayer e trazendo uma proposta bastante curiosa.                 

10 jogadores estão em uma nave fechada, a maioria deles são tripulantes, e devem trabalhar fazendo alguns simples minigames que ficam espalhados por todo local, enquanto há impostores a solta. Estes últimos por sua vez tem como objetivo assassinar todos da tripulação.

Enquanto jogamos, não podemos nos comunicar com ninguém dentro do jogo, então todos são completamente suspeitos, o que cria uma tensão crescente dentro da nave, afinal você não faz ideia de quem pode ser o imposto e não existe nenhuma forma de se defender.

Correr de quem você pensa ser o assassino não costuma adiantar, já que o impostor tem a mesma velocidade de um tripulante normal e também o benefício de se locomover através da tubulação. Outra habilidade do assassino é a de trancar alguns locais da nave e sabotar outros, o que obriga os tripulantes a irem até lá para conserta-lo, deixando-os ainda mais indefesos.

Obviamente existem formas dos tripulantes sobreviverem ao perigo do impostor. Uma delas é quando todos concluem suas tarefas, o que leva a partida até o final, mas como não são todos que conseguem fazer as missões rapidamente, essa forma de vitória acaba não sendo nada prática.

A opção realmente mais fácil de se ganhar uma partida é eliminando o assassino, o que pode ser feito através da única arma dos tripulantes: O Chat.

Apesar de não existir nenhuma forma de comunicação durante o jogo, quando você encontra o corpo de algum tripulante morto pelo mapa ou aperta o botão vermelho da nave, uma reunião se inicia e nela os jogadores podem discutir e votar em quem eles acreditam ser o impostor, assim retirando-o da nave.

Essa opção é quase sempre a usada para a vitória, mas obviamente existem impostores que conseguem argumentar e alguns acabam enganando os tripulantes, fazendo-os votar em algum inocente, o que os deixa em uma desvantagem ainda maior.

Em algumas situação, toda essa magia da investigação acaba indo por água abaixo, afinal existem jogadores que pouco se importam em matar inocentes, então confiam cegamente nas acusações mais rasas possíveis, o que costuma terminar na morte de vários tripulantes normais, levando o assassino a vitória.

Também há aqueles que jogam em uma chamada com seus amigos, o que possibilita que um passe informações para o outro durante toda partida, mesmo que um dos jogadores já tenha morrido, o que seria impossível dentro do jogo e acaba quebrando toda sua ideia.

Ainda assim, esses problemas não chegam a arruinar a magia de Among Us. Sua acessibilidade e simplicidade são pontos de extremo destaque, então os jogadores dificilmente irão deixa-lo, afinal poucos são os games que rodam em computadores muito simples e também estão disponíveis gratuitamente para celulares, funcionando também em aparelhos menos modernos.

Aprender a jogar está longe de ser uma tarefa difícil, então até os menos introduzidos no mundo dos videogames podem se aventurar em Among Us, o que é algo bastante impressionante e difícil de ser replicado por outras empresas concorrentes. Manter seu jogo bem otimizado e simples na medida certa está longe de ser uma tarefa fácil, o que dá uma grande vantagem para Among Us.

Um dos reais grandes problemas do jogo são os Hackers, usuários que utilizam trapaças para conseguir vantagens sob os players normais, que estão se espalhando no jogo. Esse é provavelmente um dos problemas inevitáveis em um jogo acessível, já que muitos irão jogá-lo e sempre existirá alguém para avacalhar com a felicidade dos outros.

Até existem formas de lidar com esses trapaceiros, mas elas exigem um compromisso por parte da desenvolvedora, que deve buscar ferramentas anti-cheat que funcione em seu game, ou até criar uma, o que demanda tempo e dinheiro.

Os servidores de Among Us também são um assunto muito complicado, afinal eles são sempre hospedados por outros jogadores, que podem definir algumas regras, como a velocidade e visão do player, como também a hora em que a partida irá começar. Fora isso, o game parece não ter o preparo suficiente para sua alta demanda, então estão acontecendo casos frequentes de pessoas que simplesmente não conseguem achar partidas.

Esse problema também é completamente reversível, mas é algo que deve ser trabalhado com certa urgência, afinal os jogos devem estar preparados para um alta demanda, além de que um game com servidores exclusivamente hospedados por jogadores não é algo nada atual, o que deixa margem para que concorrentes com um maior preparo e estrutura surjam.

Ainda assim, Among Us é um jogo bastante impressionante, que conseguiu pegar o conceito de um assassino entre vários jogadores normais, que já era algo recorrente no Multiplayer de Minecraft e Garry’s Mod, e trouxe para o grande público. Toda essa história lembra um pouco o que Free Fire fez para os jogos de tiro e Battle Royale, agora só nos resta saber se assim como Free Fire, Among Us veio para ficar.




1 comentário(s)
Já possuo uma conta
Quero criar uma conta
Lujon
4 semanas atrás
Isso me lembra um pouco do http://Agar.IO na época quando surgiu que foi uma febre tbm! Vc era tipo uma célula e tinha que abosrver outras pra ficar cada vez maior... Bem escrito mano! Qualquer dia vou experimentar esse jogo! Valeu a dica!!