O Menino e o Monstro, uma aventura épica!

Uma emocionante história entre um menino que perdeu sua mãe e encontrou em um monstro um jeito de continuar a viver!

09/12/2016 Última edição em 09/12/2016 às 16:07:44

Como vamos? Tudo bem? Então vamos lá...

Obrigada, NETFLIX (eu te amo), por trazer ao meu lar esta BELÍSSIMA história entre um garoto órfão de mãe e uma fera que nunca aprendeu a ter gentileza.

Vou dar a vocês alguns dados antes de entrar na parte mais interessenta, ok?

O diretor Mamoru Hosoda, neste filme de animação, explorou como ninguém o relacionamento entre pais e filhos . Depois de delicadamente tratar dos sacrifícios do amor materno em Crianças-Lobo, Hosoda volta ao assunto com seu filme mais lucrativo até hoje: a prestigiada animação “O Menino e o Monstro” (Bakemono no Ko), que ganhou destaque em 2015 ao trazer a conturbada relação entre um garoto e seu pai, ilustrada por meio de um mundo paralelo, mostrando que a ausência da figura paterna pode mudar radicalmente o destino de uma criança.

Abaixo segue o trailer:

Lançado originalmente em meados de 2015 nos Estados Unidos e distribuído para outros países somente em 2016 pelo serviço de Streaming Netflix, “O Rapaz e o Monstro“ tem como base costumes da cultura japonesa, lendas, mitos e exploração de sentimentos humanos em seu centro.

Agora que já nos situamos, que tal contar a base da história?

Ren é um menino que acabou de sofrer com a morte de sua mãe. Ela e o pai de Ren não moravam mais juntos na época. Ocorre que a família não sabe onde o pai de Ren está (ou esconde isso do garoto) e todos querem que ele se junte a uma das famílias da sua mãe. O garoto, recém órfão de mãe, simplesmente foge de todos e passa a vagar pelas ruas, sofrendo o preconceito de todos e passando fome e necessidade. O rapaz vê com seus olhos de uma criança de nove anos toda a miséria da sociedade, que muitas vezes ignora a situação humana.

Neste momento, Ren toma contato, sem querer, com Kumatetsu, um monstro em forma de urso, mas que tem jeito humanóide. Kumatetsu e seu companheiro vagavam pelas ruas de Tóquio quando Ren os seguiu, após ouvir sua estranha conversa sobre os humanos.

Ao seguir os estranhos, Ren toma contato com o mundo escondido dos Monstros, através de uma entrada, num mundo paralelo ao dos humanos.

E aí que a nossa história realmente começa.

A verdade é que o Senhor do mundo dos Monstros é um ser excessivamente poderoso e pode, como Senhor, se tornar um "deus". No entanto, ao se tornar um deus, ele precisa deixar um sucessor e Kumatetsu é um dos promissores a assumir o posto de Senhor, mas para isso ele precisa provar o seu valor, sendo inclusive necessário treinar pelo menos um pupilo.

Kumatetsu é um monstro urso orgulhoso e rabugento que acredita que até mesmo um humano serviria para ser seu pupilo.

Provavelmente, a encrenca parte deste princípio.

Pois bem, agora vou entrar na zona de spoilers, portanto, se você não assistiu, assista, são pouco mais de 40 minutos de filme, tudo muito bem feito e dirigido. Caso você já tenha assistido, vamos em frente!

O principal assunto no filme é a RELAÇÃO ENTRE PAIS E FILHOS, parece clichê, mas é um assunto importante a ser abordado, uma vez que cada vez mais os pais estão delegando a outros a criação de seus filhos, deixando para que terceiros cuidem de suas crianças e as eduquem, o que está, com toda certeza, gerando um colapso no sistema, haja vista a total falta de capacidade de muitas pessoas de "cuidar e criar" os filhos de outras pessoas. Não obstante, a falta que um pai e uma mãe geram no coração de uma criança nem sempre pode ser suprida por uma pessoa que não faz parte do seio familiar.

É neste ponto que o filme toca principalmente.

Ren perdeu a sua mãe. Seus pais eram divorciados. O mais lógico seria que ele fosse morar com o pai. A família da mãe se nega a dar a guarda do menino ao pai, achando que ele não seria capaz de criar bem uma criança. Por causa do medo, do abandono e da rejeição, Ren foge e se vê sozinho aos nove anos no meio de uma sociedade que não é capaz de se sensibilizar.

Em decorrência de tudo isso, ele encontra-se com Kumatetsu.

Kumatetsu, é revelado, também foi um jovem órfão que teve que aprender sozinho a se virar no mundo, aprender a lutar sozinho e aprender a sobreviver sem qualquer ajuda, pois todos os mestres o rejeitaram, pois ele era uma criança arrogante e difícil de lidar.

Vem aí uma observação importante, crianças abandonadas veem o mundo de outra forma, elas normalmente são arrogantes porque tiveram que crescrer mais rápido que as demais crianças, deixando o estado pueril muito cedo e adquirindo manias adultas que não são, muitas vezes, boas. Ademais, uma crianças órfão é difícil de lidar, pois ela não suporta a perda, uma vez que desde sempre se viu com problemas e em total perda.

Mas continuando.

Ren e Kumatetsu se encontram no mundo dos Monstros e Kumatetsu decide que é hora de ter um pupilo e que este pupilo seria aquele humano. Assim, leva-o para casa, mas a relação dos dois é muito difícil. Ren é uma criança que briga muito e é reclamona demais, ao mesmo tempo em que Kumatetsu não tem qualquer aptidão para cuidar de uma criança (ele recebe ajuda de dois outros monstros que são seus amigos para poder dar conta do pequeno humano). A relação demora para se desenvolver, uma vez que os dois, com gênios difíceis, precisam se adaptar a uma nova situação, a de que não são mais sozinhos.

O filme mostra principalmente duas questões: a personalidade conflitante de Ren e de Kumatetsu e a inserção da figura paterna e sua força na história. Chegando a situações cômicas, as brigas entre mestre e aprendiz oferecem à trama momentos de reflexão e diversão quando colocadas em evidência em cena. De um lado, Ren, com todos os seus medos e suas frustrações pelo abandono paterno sendo expressados sob a forma de xingamentos e constante desobediência aos ensinamentos de seu mestre. Do outro, Kumatetsu, um professor com uma personalidade tão difícil e descontrolada que até então todos os seus aprendizes desistiram pelo caminho.

Logo, o que resulta do choque de duas personalidades tão forte é o principal triunfo da trama de O Menino e o Monstro, e os laços e o conhecimento compartilhados de ambos mudam drasticamente o destino dos dois personagens, cuja evolução ao longo do filme é facilmente percebida.

Assim, com o passar dos anos, Ren cresce e encontra em Kumatetsu a figura paterna que faltava e criara em si um vazio de proporções ameaçadoras.

No entanto, não para por aí. Ren finalmente encontra o caminho para o mundo humano novamente e lá descobre um mundo ainda maior que ele havia deixado para trás. E neste mundo está Kaede, uma jovem estudante que vive para satisfazer as vontades dos pais (tirar excelentes notas e fazer tudo para lhes agradar). A vida de Kaede muitas vezes a entristece, mas ela continua em frente. E ao conhecer Ren, ela descobre que é possível ir mais além. Em troca da energia que Ren lhe dá, ela o ensina tudo aquilo que ele deixou de aprender (estudos).

Ao mesmo tempo que aprende com Kaede, Ren descobre que seu pai verdadeiro está vivo e vai atrás dele. Mas a verdade é que ele ainda não consegue deixar o mundo dos monstros, pois seu pai "de criação" está lá e, de alguma forma, ele sabe que um precisa do outro para se completarem. É nesta descoberta que Ren percebe que em seu peito existe um buraco, um vazio que somente humanos possuem e que pode um dia destruir a todos.

Assustado, ele retorna ao mundo dos monstros, no qual uma luta entre Kumatetsu e seu maior rival está sendo iniciada. Eles precisam lutar para decidirem quem será o novo Senhor quando o Senhor passar a ser "deus". Esta luta é intensa, e por muito pouco Kumatetsu não perde, mas com o incentivo de Ren e sua determinação, os dois juntos vencem e Kumatetsu é noemado Senhor do mundo dos Monstros. Mas esta alegria é momentânea, pois Kumatetsu é atingido por uma espada do filho de seu rival derrotado. Neste momento, é revelado que o o rival de Kumatetsu é um humano como Ren. 

Este jovem não mata Kumatetsu , mas o deixa gravemente ferido.

A verdade é que Ren sabe que somente ele é capaz de impedir que aquele humano poderoso destrua tanto o mundo dos monstros como o mundo dos humanos, pois somente ele tem o mesmo buraco no peito que o rapaz (este buraco, chamado solidão e tristeza, alimenta poderes que os tornam perigosos). A vitória de Ren não vem sem antes o sacrificio de Kumatetsu, que entendeu que ele e Ren eram um só, que somente ele, como "pai substituto", era capaz de acalentar toda a dor e o sentimento de tristeza que o jovem trazia no peito. E assim, juntos, os dois derrotam o inimigo.

O filme traz excelentes passagens de tempo, mostram o desenvolvimento de um relacionamento entre pai e filho que nem sempre é simples e cheio de alegrias, um relacionamente que se inicia com a perda e termina com a total devoção de um pai ao seu filho.

Mesmo com uma baixa divulgação no circuito de cinema fora de seu país de origem, estreando em poucos países, O Menino e o Monstro foi considerada a melhor animação japonesa de 2015 e vencedor do Japan Prize Award. O filme foi ainda indicado ainda ao Annie Awards 2016 e foi pré-selecionado para o Oscar 2016, ambos na categoria Melhor Animação.

Por isso, eu realmente recomendo, perca um pouco do seu tempo e veja esta belíssima animação!




1 comentário(s)
Já possuo uma conta
Quero criar uma conta
Joke
3 anos atrás
Que demais, fiquei com vontade de assistir!