Battletoads 2020: a espera valeu a pena?

Os sapos que marcaram toda uma geração nos anos 90 estão de volta após mais de 20 anos parados, mas será que o novo jogo dos Battletoads é realmente bom?

02/09/2020 Última edição em 02/09/2020 às 09:59:16

O estúdio Rare foi um dos mais importantes dos anos 90 e começo de 2000, porém, quando acabou adquirida pela Microsoft, a desenvolvedora perdeu boa parte de sua relevância. Várias de suas clássicas franquias, como Banjo-Kazooie, Perfect Dark e Battletoads foram recebendo cada vez menos atenção, e, aos poucos, a Rare foi se focando cada vez mais em produzir jogos para o periférico Kinect, do Xbox 360.

Hoje, esse periférico não existe mais e o estúdio vem trabalhando nas atualizações do seu bem sucedido MMO Sea of Thieves e no desenvolvimento do jogo Everwild, entretanto a Microsoft parece ter notado o interesse dos fãs em ver as velhas franquias da Rare de volta, então contratou o estúdio Dlala para trabalhar em um novo Battletoads em uma parceria com a Rare, mas será que essa game honra a memória da franquia?  

Bem, chegar no nível do que foi o Battletoads de NES é uma tarefa muito complicada, já que o game continha uma dificuldade absurda e extremamente injusta, essa que já não se encaixa nos padrões dos jogos atuais. O game também carregava um estilo de jogabilidade muito variado, mas que poderia também não funcionar muito bem fora dos anos 90. Entretanto, o resultado desse novo jogo pode não ter sido tão desastroso quanto alguns fãs da série estavam imaginando.

Talvez o visual do novo Battletoads tenha sido o principal motivo da desconfiança dos fãs, o que é compreensível, afinal o estilo gráfico desse game seguiu um padrão muito mais infantil e simples do que o dos jogos antigos, é claro que não poderíamos esperar designs mega realistas, já que essa nunca foi a ideia de Battletoads, mas para um novo jogo de uma franquia tão antiga, os jogadores esperavam que os visuais fossem um pouco mais adultos.

Bem, nada no visual de Battletoads mudou desde que sua gameplay foi apresentada, então seus gráficos continuam bastante decepcionantes, mas surpreendentemente, os visuais do game casaram surpreendentemente bem com sua trama.

Se o visual de Battletoads traz um estilo bem simples e próximo das animações atuais, na trama o mesmo acontece. Não se engane pensando que a história do jogo é sem sentido e idiota como alguns dos cartoons de hoje, na realidade, ela segue um estilo mais próximo de desenhos atuais focados em um público um pouco mais adulto, como Rick and Morty.  Em Battletoads tudo vira piada e a maioria delas funciona muito bem, deixando até mesmo a sensação de que o game poderia se tornar uma série animada. Se nos jogos clássicos a história não era um ponto forte da saga, agora vemos esse parte sendo extremamente bem trabalhada e se tornando algo muito importante para o jogo.

Claro que não é apenas de um visual infantil e de uma boa trama que vive Battletoads, afinal, esse é o retorno de um clássico dos anos 90 e nessa época nada importava mais do que a jogabilidade. Obviamente isso não é diferente aqui e esse é o ponto mais importante do game, felizmente é na jogabilidade onde há o que temos de melhor em Battletoads, mas infelizmente também é onde mora seu maior problema.

Assim como seu antecessor de Nintendinho, esse Battletoads está sempre alterando sua jogabilidade conforme as fases vão passando, até existe uma maior predominância do gênero beat n' up no game, mas há também diversas fases com estilos diferentes.

A clássica parte da motinha está de volta aqui, obviamente com uma dificuldade bastante reduzida, pelo menos no modo fácil e normal. Na dificuldade "Battletoads" que equivale a um modo difícil, essa fase é absurdamente complicada (como qualquer outra coisa do jogo, sério, nesse modo tudo é difícil),  mas não chega no nível da que tínhamos no jogo de Nintendinho, mesmo que se aproxime. Eu diria que ela é como uma versão corrigida daquela fase, que era injusta até demais. A jogabilidade é bem simples, o que também se mantém em outros estilos de fase do jogo, mas funciona bem e somada a ótima trilha sonora que marca o game em todo momento, faz tudo ser muito divertido.

Nas fases de pancadaria (beat n' up) é onde a jogabilidade se torna algo um pouco mais "complexa" Não é nada realmente difícil de se aprender, mas é onde você mais usará botões do controle, afinal existem várias possibilidades de combos, esses que variam entre os três personagens do jogo: Rash, Zitz e Pimple. Por serem as fases menos simples, seria de se esperar que os momentos de Beat n' up do jogo seriam os melhores do game, mas infelizmente isso não acontece por um motivo bem besta.

Em várias dessas fases, ficamos com a sensação de que o jogo está se estendendo demais, o que deixa as coisas um tanto quanto cansativas e diminui o fator replay. Horas de jogo não é algo que importam muito em um game arcade como Battletoads, mas o estúdio parece ter tentando aumentar a duração do game artificialmente, esticando demais algumas fases, o que criou o maior problema do jogo. A duração de 5 horas que foi criticada por muitos, na verdade está bastante acima de vários jogos desse mesmo estilo e poderia facilmente ter sido reduzida em prol de um ritmo ainda melhor.

Felizmente esses momentos problemáticos acabam pesando menos por irem diminuindo conforme progredimos no game, e graças a diversidade entre fases, vamos até esquecendo um pouco desses momentos arrastados, mas isso não apaga esse grande ponto negativo.

Durante e após alguns níveis, passamos por alguns minigames. Vários deles tratam-se de Puzzles, que não exigem muito do jogador, mas funcionam para cadenciar o ritmo do jogo, enquanto outros são quase como quick time events acompanhados por cenas engraçadinhas. Felizmente esses momentos costumam conter boas piadas e serem bem rápidos, o que os impede de se tornarem um problema.

Claro que também não posso deixar de citar os outros estilos de jogabilidade que existem nas diferentes fases de Battletoads, alguns seguem um  estilo mais plataforma, sendo bastante simples e normalmente consistindo em irmos do ponto A ao B, enfrentando alguns quebras cabeça no caminho, essas fases são muito competentes e caem perfeitamente para o game, ajudando a cadenciar seu ritmo. As fases de navinha são também algo que se destaca aqui, afinal contam com vários inimigos, alguns powerups e muita, mais muita dificuldade.

Uma parte onde andamos com uma espécie de rolimã, apertando botões em momentos específicos e desviando de obstáculos, como também uma onde o cenário é nosso inimigo e devemos desviar constantemente de espinhos também estão no game. Todas elas recheadas de dificuldades e com suas mecânicas particulares, essas que são bastante simples, mas muito funcionais.

Se prepare para se surpreender jogando Battetoads, já que talvez você esteja ansioso para experimentar algum tipo de fase específica, mas fique realmente de queixo caído com outras partes do game.

Toda essa variedade na jogabilidade deixa Battletoads extremamente divertido, tudo bem que essas fases são bem simples, e as vezes sentimos falta de uma maior gama de inimigos ou quem sabe mais chefes, mas ainda assim o game  fará você querer joga-lo, mesmo após tê-lo zerado. Um feito impressionante, já que os colecionáveis espalhados pelas fases não adicionam em nada no jogo, não há nenhum conteúdo pós game e algumas de suas fases são bastante arrastadas.

Não há dúvidas que se o game tivesse mais conteúdo para os que já o zeraram alguma vez, ele seria ainda melhor, mas sua ótima e variada jogabilidade impede isso de se tornar um grande problema. 

Assim como no game original, nesse Battletoads também temos um modo cooperativo, esse que suporta dois jogadores adicionais e surpreendentemente, deixa o jogo ainda mais difícil, já que confusões sobre qual personagem você está controlando acontecerão em todo momento, o que está longe de ser um problema, já que assim o jogo não se torna fácil demais para os que pretendem jogar com amigos. O único problema real do modo cooperativo desse jogo, é que por algum motivo ele apenas suporta o coop local, algo muito estranho para os dias atuais, onde o aspecto multiplayer vem ficando cada vez mais forte.

De forma geral, Battletoads é um jogo extremamente competente, que consegue trazer de forma muito eficaz a essência dessa clássica franquia para o Xbox One e PC. Problemas existem, mas nenhum realmente compromete o game.

Se você busca um jogo Old School que traga boas músicas, uma alta dificuldade, jogabilidade variada e um humor afiado, Battletoads é para você!




Comenta aí :)
Já possuo uma conta
Quero criar uma conta