The Elder Scrolls V: Skyrim | Ainda vale a pena jogar?

Lançado há quase uma década, o RPG conhecido carinhosamente por Skyrim conquistou milhares de fãs pelo mundo. Contudo, será que ainda é um bom jogo depois de tanto tempo? Confira com a gente!

21/07/2020 Última edição em 21/07/2020 às 11:49:06

É quase impossível encontrar algum amante de RPG que não conheça The Elder Scrolls V: Skyrim. Tendo seu lançamento em 2011, o jogo inovou no seu tempo pelo tamanho e riqueza de detalhes de seu mapa, além das histórias envolventes e um plot principal digno dar inveja em muitos games do mesmo segmento.

O jogo gira em torno do dragonborn, um cidadão que, em meio ao ressurgimento dos dragões, descobre que é dotado da habilidade de absorver as almas deles, causando curiosidade e espanto para os habitantes de Skyrim. Seu objetivo então é enfrentar Alduin, o Deus Nórdico da Destruição e causador desse caos completo.

Apesar dessa “bola toda”, não podemos ignorar que o título completará uma década de vida, tornando-se ultrapassado em relação a outros RPGs mais recentes... Será mesmo? Veja a seguir a lista do porquê você deve, sim,  jogar (ou rejogar) essa maravilha:

Cada história é única

Skyrim não encanta apenas com o roteiro da jornada principal, mas também em suas side quests. Além disso, é impressionante ver como cada NPC possui o próprio desenvolvimento, com rotina, desejos, medos e personalidades distintas – isso não se aplica aos guardas das cidades (esses sim são repetitivos por natureza).

Vale ressaltar também o enredo das guildas, dando atenção especial para a Guilda dos Ladrões, no qual envolve não só missões de furtos e roubos, como também é disfarce de uma história muito mais mítica (não é spoiler, é só um gostinho para instigar você, caro leitor).

 

Há muito a explorar!

Por mais que não tenha o tamanho de um The Witcher 3 ou de um GTA V, o mapa de Skyrim surpreende na sua bela ambientação, possibilidade de exploração e vida nativa. Como um bom jogo de mapa aberto, o jogador pode explorar como bem entender, seguindo desde a mais remota trilha até aventurar-se a subir pelas montanhas e picos perigosos.

Além das cidades e vilas, a província possui várias ruínas, construções, cavernas e acampamentos para serem descobertos, dando uma vasta gama de possibilidades de evolução do personagem e de aventura.

Várias possibilidades em um só jogo

O que mais chama atenção no game é que, diferente de outros RPGs, Skyrim dá ao jogador a liberdade de ser o que quiser, independente das escolhas iniciais. Quer ser um elfo especializado em armas pesadas? Você pode. Ou um orc com alto conhecimento em magias? Também é possível. E o melhor: se cansar, é só mudar de “classe”. Isso acontece por causa do sistema de evolução de habilidades do jogo, que foge do padrão da escolha de uma classe inicial – no qual costuma ser irreversível.

Skyrim também não possui outros sistemas comuns encontrados em RPGs, como sistema de profissão, contudo ainda é possível evoluir em certas habilidades para criar itens únicos, tanto para serem vendidos quanto usados pelo próprio jogador.

Mods, muitos mods!

Se você usa a desculpa de que o jogo está muito velho, que os gráficos são ultrapassados ou que falta missões mais inovadoras, seus problemas acabaram. Skyrim possui uma das maiores comunidades (se não a maior!) de modders do mundo dos games.

Usando o site Nexus Mods como referência, há mais 50 mil mods cadastrados e cerca de 1 bilhão (não, você não leu errado) de downloads! E todos os dias mais e mais são desenvolvidos. Lá você encontra melhorias nos gráficos, adições de novas armas e armaduras, novos companheiros para o jogador, novos tipos de inimigos, aperfeiçoamentos na customização de personagem, mudanças na jogabilidade, tem absolutamente de tudo! Até mesmo um conhecido mod que transforma os dragões em pôneis! Vale a pena dar uma conferida caso seu jogo seja de PC.

Bizarro...

Aquela sensação de nostalgia...

Não sei vocês, mas eu joguei Skyrim quando eu era uma jovem padawan, e revisitar o jogo depois de alguns anos me traz ótimas lembranças da infância. Quem nunca quis saber o que significava “flechada no joelho” que os guardas tanto falavam, tentou escalar uma montanha da forma mais difícil, correu do troll de gelo da Garganta do Mundo por estar num nível muito inferior ou se irritou procurando as tais Pedras de Barenziah? E claro, não podemos esquecer daquele sonho inalcançável de poder montar em um dragão (que aliás, existe um mod que realiza esse desejo!).

 


Seja você um antigo jogador ou alguém que nunca ouviu falar nessa franquia, Skyrim é um título que deveria ser jogado ao menos uma vez por quem é apaixonado por um bom RPG de mundo aberto ou para quem gosta de uma história cativante. E como se tudo isso não fosse argumento o suficiente, vale destacar que o jogo recebeu o prêmio de Jogo do Ano em seu lançamento, além também de Melhor RPG.

E aí, consegui te convencer a jogar The Elder Scrolls V: Skyrim?




1 comentário(s)
Já possuo uma conta
Quero criar uma conta
Joke
1 mês atrás
Com certeza, é um jogão!