Brigas de gangues? É com Durarara!

Durarara, um anime que mistura máfia, gangues e mitologia japonesa e nórdica em um só lugar. Confira a resenha dessa incrível anime.

21/08/2020 Última edição em 21/08/2020 às 16:08:43


O anime se passa em Ikebukuro, um distrito de Tóquio, quando o protagonista Ryuugamine Mikado muda-se para lá para estudar no colégio Raira com seu amigo de infância Kida Masaomi. Possuindo uma narrativa em terceira pessoa, o anime aprofunda-se em vários personagens, sendo os principais Ryuugamine Mikado, Kida Masaomi, Sonohara Anri e por último, mas não menos importante, Celty Sturluson, uma Durahan que está à procura de sua cabeça (sim, ela perdeu a cabeça, rs) e mora com um médico clandestino.

O anime possui 4 temporadas e um total de 60 episódios. A primeira temporada, que é a mais longa, aborda logo no primeiro episódio o tema de suicídio coletivo, um tema complicado de se abordar, mas que é feito de maneira dinâmica prendendo os espectadores. Além disso, a primeira temporada tem como tema principal a briga de gangues coloridas no Japão e o grupo Dollars, que é considerado uma “gangue incolor”.

Na segunda temporada ainda é muito presente a briga de gangues, só que dessa vez é acrescentada a gangue de motoqueiros, a Toramaru, e a máfia japonesa, tendo como trama principal a briga entre gangues também. Essa temporada também é marcada pelo sumiço de Kida Masaomi.

Na terceira temporada, saindo um pouco da questão de gangues, o tema é mais focado na procura da cabeça de Celty e na companhia farmacêutica Yodogiri.

Na quarta e última temporada os temas principais são a Celty em sua forma de Durahan e o tão esperado reencontro entre Ryuugamine Mikado e Kida Masaomi. O final é muito bem trabalhado, assim como a série por inteiro. Todos os personagens, até mesmo os secundários, são extremamente bem trabalhados e mostrados de maneira humana, sem a tradicional “apelação protagonista” e “perfeccionismo de protagonista”, dando um final aos personagens, principalmente a Ryuugamine Mikado no êxtase de sua loucura a qual foi trabalhada conforme a série foi se desenvolvendo.

O anime em si não é aquele anime agitado como nos shounens tradicionais, pois exige que o expectador preste atenção nos detalhes e seja paciente, já que não é um anime focado somente em luta.

Em relação às trilhas sonoras, openings e endings não há nada que reclamar, todas são muito bem trabalhadas e a trilha sonora influência muito no clímax da história, sendo que em praticamente todos os episódios elas são usadas.

Recomendo Durarara para quem procura um anime diferente de tudo que já viu, mas que mesmo assim ainda procura um shounen que tenha aquela “pitada” de sobrenatural.

Minha nota para o anime é 10.




1 comentário(s)
Já possuo uma conta
Quero criar uma conta
kodo no kami
3 meses atrás
anime muito massa com varios easter eggs de outros animes, mairu e kururi minhas waifu kkk