Top Games: 10 clássicos do Nintendo 64 que marcaram uma geração

Os clássicos do Nintendo 64 que marcaram uma geração e que merecem ser lembrados por ter proporcionado muitas horas de diversão para jogadores e jogadoras ao redor do mundo.

08/01/2021 Última edição em 08/01/2021 às 18:34:06

O Nintendo 64 é um dos consoles mais nostálgicos de serem lembrados, graças à variedade de games lançados para ele, incluindo séries que fizeram e continuam a fazer sucesso nos dias de hoje. Infelizmente, quando foi lançado em 1996, não conseguiu superar o seu concorrente, o PlayStation da Sony, que trazia suporte à computação gráfica, áudio com qualidade de CD e uma capacidade superior de armazenamento, permitindo que os jogos se tornassem mais complexos, longos e imersivos.

Contudo, a Nintendo sempre teve ao seu lado designers e estúdios criativos, que traziam estórias e universos ricos, capazes de despertar o interesse e proporcionar uma ótima experiência de jogo. E embora a capacidade de armazenamento do console talvez apresentasse uma desvantagem, o Nintendo 64 tinha uma característica especial: o seu processamento era rápido, o que eliminava a necessidade de telas de carregamento na maioria dos casos.

Hoje, no Top Games, trazemos 10 clássicos do Nintendo 64 que marcaram uma geração.

1: Resident Evil 2

Jogos de terror talvez não pareçam ser tão assustadores nos dias de hoje, mas nos anos 90 eram de arrepiar. Resident Evil 2, lançado pela Capcom originalmente para o PlayStation 1 em 1998, sofreu um port para o Nintendo 64 à custa de muito suor, pois foi necessário fazer várias adaptações para que o console pudesse suportar o jogo, inclusive a utilização de tecnologias de compressão de dados, como a Factor 5, a mesma que foi adotada em Pokémon Stadium.

Ambientado pouco tempo após os incidentes de RE1, em RE2 assumimos o papel das personagens Leon S. Kennedy e Claire Redfield que precisam sobreviver a uma cidade cheia de zumbis enquanto tentam fugir de Raccoon City. Podemos alternar entre Leon e Claire encarando o jogo sob diferentes perspectivas, com a câmera posicionada um pouco acima do personagem, com mudanças frequentes de ângulo, como se eles estivessem sendo observados o tempo todo por alguém.

Memorandos, quebra-cabeças, portas que se abrem devagar causando medo, cachorros zumbis que atacam quando menos esperamos, uma cidade sombria e diferentes itens que coletamos e organizamos (como armas e restauradores de vida) são alguns dos elementos comuns que encontramos e contribuem para que Resident Evil 2 seja um dos grandes títulos lançados para o console. Um remake também saiu em 2019 para PC, PS4 e Xbox One trazendo melhorias significativas nos gráficos, jogabilidade e na extensão da estória.

2: The Legend of Zelda: Ocarina of Time

Ocarina of Time talvez seja um dos melhores jogos do Nintendo 64, trazendo inovações com a introdução de cinemáticas ao longo da estória, e deu a possibilidade de explorarmos um universo vasto e rico em aventuras e elementos de RPG, com a inclusão de quests e dungeons, e conseguindo fazer o uso da trilha sonora como mecânica de jogo para aumentar as possibiidades de interação.

Um traço muito marcante da série Zelda é o vasto arsenal de itens que vamos adquirindo ao longo do tempo, formando um verdadeiro inventário, com direito a espadas, escudos, arco e flecha, bombas, magias, botas que flutuam, túnicas para nadar debaixo d’água ou suportar temperaturas altíssimas e muito mais.

Diferente da versão de Super Nintendo, como vimos em A Link to the Past, em Ocarina of Time, com a inclusão do 3D, sentimos uma imersão maior tanto no mundo do jogo quanto no desenrolar da estória envolvente que nos prende do início ao fim para salvar o mundo de Hyrule das garras do terrível Gannondorf

3: Banjo-Kazooie

A Rare foi um estúdio famoso nos anos 80 e 90, criada pelos irmãos Stamper, que desde muito cedo chamou a atenção da Big N, que não demorou em torná-la sua Second Party,  e criou conteúdo de qualidade para o NES, SNES e N64, como os jogos Battletoads, Donkey Kong Country, Killer Instinct e muitos outros.

Um dos títulos de destaque da Rare foi Banjo-Kazooie, um jogo de aventura em terceira pessoa onde controlamos duas personagens, Banjo e sua amiga Kazooie que viajam em diferentes mundos para impedir os planos malignos da vilã Gruntilda. Embora o tema pareça infantil ao analisarmos a temática e os traços das personagens, Banjo-Kazooie foi um jogo bastante aclamado e vencedor de prêmios, possuindo uma jogabilidade bastante rica graças as diferentes combinações de teclas e a possibilidade de jogar com Kazooie como mecânica secundária, que nos ajuda a nadar, correr mais rápido, saltar para alcançar alturas mais elevadas e a desferir ataques contra os adversários que vão surgindo pelo caminho, que, cá entre nós, não intimidam muito não!

O jogo chamou muita atenção na mistura das cores, na trilha sonora e na coleta de itens espalhados pelo cenário, como símbolos de figuras musicais, e depois que o estúdio foi adquirido pela Microsoft, passou a estar disponível também para os consoles Xbox.

4: 007 Golden-Eye

007 Golden-Eye foi uma adaptação bem-sucedida do filme de ação estrelado pelo ator Pierce Brosnan, onde realizamos missões de infiltração como um agente secreto em um jogo de tiro em primeira pessoa. É outro dos títulos do estúdio Rare, e também inclui um modo multiplayer de até quatro pessoas onde a tela é dividida em quatro partes, além de trazer a trilha sonora e alguns itens da série original, como o famoso relógio eletromagnético. 007 Golden-Eye também se destacou na época pela precisão da mira de tiro que criou a possibilidade de acertarmos diferentes partes do corpo dos inimigos.

5: Super Smash Bros.

Em Super Smash Bros. somos apresentados a um crossover onde temos personagens de diferentes jogos da Nintendo que trazem habilidades, itens e a trilha sonora de cada universo ao qual pertencem. No modo single-player o objetivo é zerar o jogo avançando de fase em fase até chegar ao boss,  uma luva mágica que concedeu vida a varios brinquedos que estavam dentro de um baú e os convocou para lutar, incluindo Mario, Luigi, Link, Pikachu, Samus, Capitão Falcon, Ness, Donkey Kong, KirbyJigglypuff, Yoshi e Fox.  Entre alguns estágios temos também alguns bônus que surgem entre eles para ajudar a aumentar a nossa  pontuação e também a possibilidade de jogar em um modo versus multiplayer bastante divertido.

O jogo original foi produzido pelo HAL Laboratory, o mesmo da série Kirby, e versões subsequentes continuaram surgindo para outros consoles da Nintendo feitas por outros estúdios.

6: Mario Kart 64

De fato o modo multiplayer era um dos pontos fortes do Nintendo 64, que permitia que até 4 pessoas jogassem simultaneamente, e tivemos vários jogos que exploravam bem esse recurso. Mario Kart 64 foi um deles, sendo provavelmente o jogo de corrida mais divertido e bem elaborado para o console, onde tínhamos personagens do universo de Super Mario World que participavam de uma corrida em um circuito de dezesseis pistas em quatro modalidades diferentes.

O que tornava Mario Kart 64 tão interessante é que durante a corrida podíamos coletar diferentes tipos de itens que nos davam a opção de acelerarmos a velocidade do nosso kart, plantarmos armadilhas na pista, acertarmos um competidor para que ele perdesse a posição na corrida, ficarmos invisíveis, entre muitas outras coisas, e foi possível passar uma experiência mais imersiva no volante com os gráficos em 3D do Nintendo 64, diferente da versão lançada para o SNES que carecia de alguns recursos, mas que contribuiu para que a série se sobressaíse.

7: Pokémon Stadium

Pokémon Stadium é outro clássico do Nintendo 64 que merece destaque, sendo um jogo de estratégia em 3D baseado em turnos em que podíamos escolher entre vários gêneros de pokémon para participar de batalhas. A Nintendo fez o uso de ricos efeitos especiais para simular os ataques dos pokémons, como razios de gelo, lança chamas,  escavação e voo, e dividiu o jogo em diferentes modalidades, o que fez crescer bastante o conteúdo, com lutas de 3 a 3 pokémons contra oponentes, batalhas contra 8 líderes de ginásio e a Elite dos Quatro, além de um modo versus um pouco mais curto e alguns mini-games, que eram como espécies de gincana entre os pokémon, entre elas a competição de corrida dos Rattata, o desafio de comida dos Licktungs e a prova de resistência dos Jigglypuffs.

8: Star Fox 64

Star Fox 64 é um jogo de nave sensacional, onde avançamos pelo sistema Lylat como membro de um esquadrão para restaurar a ordem na galáxia, impedindo que Andross traga o caos e a destruição. Nosso time é formado por Fox McCloud, Falco Lombardi, Slippy Toad e Peppy Hare, onde agimos como líder do time avançando por planetas ameaçados de destruição, cinturões de asteroids e bases militares.

O gatilho do controle do Nintendo 64 cai como uma luva neste tipo de jogo e nos demais jogos de tiro, e as possibilidades de movimentação aumentam quando combinamos diferentes teclas para fazer acrobacias para desviar e bloquear ataques. Há dois tipos de missões, Complished e Accomplished: a primeira é a missão padrão e a segunda é como uma missão especial que é desbloqueada quando descobrimos passagens secretas ou escolhemos o desafio mais difícil. As dublagens em Star Fox 64 são memoráveis e contribuem para que o jogo seja tão divertido.

Este é mais um exemplo de jogo que surgiu em uma geração anterior e que foi aprimorado com os recursos em 3D do Nintendo 64, continuando a evoluir nos futuros consoles.

9: Cruis'n USA

É difícil encontrar alguém nascido entre os anos 90 e 2000 que não conheça Cruis'n USA, porque o game ficou disponível na maioria dos fliperamas durante um bom tempo e era um simulador de corrida que ocupava um espaço físico bem grande, difícil de não perceber. A Midway trabalhou na versão de arcade, e anos mais tarde a Williams ajudou a levá-lo para o Nintendo 64, sem deixar a qualidade decair.

Em Cruis'n USA nós participamos de corridas contra outros competidores onde as pistas são estradas e locais dos EUA, como Chicago, Iowa, Beverly Hills, Arizona, Grand Canyon, entre outras mais. Diferente de um jogo convencional, nas pistas de Cruis'n USA nós disputamos espaço com o trânsito, inclusive de carros que surgem na contra mão, o que aumenta o desafio de vencer a corrida e manter o primeiro lugar, porque é comum na última curva da pista encontrarmos com um caminhão vindo em nossa direção.

Como opções podemos trocar a música que toca no rádio do carro, gravar nosso nome no ranking e após desbloquear todas as fases outros carros ficam disponíveis, jogando livremente sozinho ou contra outro jogador.  Cruis'n USA fez um sucesso maior nos arcades do que no console, mas é um daqueles jogos que não passam desapercebidos e na categoria de corrida trouxe visibilidade para o nosso querido Nintendo 64.

10: Super Mario 64

O fato de Super Mario 64 estar na posição 10 não o torna menos importante, pelo contrário. Claro que não tinha como deixar de mencioná-lo nesta lista, pois foi uma transição importante para a série, do 2D para o 3D, após o sucesso de Super Mario World no Super Nintendo, sem mencionar que é provavelmente o jogo mais vendido na história do Nintendo 64.

Diferente de Sonic, levar o universo de Mario para o 3D foi uma receita que funcionou bem, tanto que até hoje temos bons exemplos disso com os jogos lançados para os consoles que vieram logo em seguida. Super Mario 64 mantém um enredo parecido com o jogo anterior, onde precisamos resgatar a princessa Peach das garras de Bowser e trouxe uma maior liberdade para os jogadores com um estilo de exploração de mundo aberto e uma riqueza de gráficos superior no uso de malhas e polígonos ao invés de sprites em duas dimensões, sem perder aquela essência de um game de plataforma.

E esse foi o Top Games: 10 clássicos do Nintendo 64 que marcaram uma geração.  É verdade que muitos outros games mereciam destaque aí em cima, quem sabe não falamos dele na próxima vez! Gostaria de ver algum assunto aqui no Top? É só deixar aí nos comentários.  Até a próxima!




Comenta aí :)
Já possuo uma conta
Quero criar uma conta