Tamos de Olho: Early Acess, Molyneux e Batatas

Confere aí!

08/07/2016 Última edição em 08/07/2016 às 00:00:00

Para quem costuma jogar no PC, o Steam já é um velho conhecido. Promoções malucas com jogos ótimos mais baratos que sanduíche da lanchonete do Palhaço, uma boa comunidade e suporte para problemas e facilidade para jogar com os amigos caso não seja um fracasso social como eu. 


"Não tenho amigos porque não quero! Estou bem sozinho!”

Além de outras coisas bacanas como o reembolso, desde que seja feito no máximo 15 dias após a compra e o jogo tenha sido jogado por menos de 2 horas, o Steam também conta com o Early Acess. A intenção da ferramenta é dar acesso imediato a jogos ainda em fase de desenvolvimento para que eles cresçam e melhorem com o feedback da comunidade que se cria ao redor do projeto. Isso é muito vantajoso tanto para desenvolvedores quanto para jogadores.

Jogadores podem envolver-se no projeto e dizer diretamente aos desenvolvedores o que querem e como querem que o jogo seja e, assim, ter um produto final de melhor qualidade. Desenvolvedores, além de poder ouvir o que a comunidade quer e trabalhar nessa relação com o jogador, que sempre é uma boa idéia, pois ainda tem bastante gente disposta a fazer o trabalho árduo de procurar bugs e glitches que eles próprios não seriam capazes de achar sozinhos. Ou teriam que desembolsar uma boa grana na contratação de beta testers.

Outros bons exemplos são o Kickstarter e o Indiegogo. De forma bem simplificada, a intenção é tornar projetos antes impossíveis possíveis. Por exemplo: você tem uma ideia genial para, no caso, um jogo incrível. Você desenha umas artes-conceito, escreve um roteiro bruto de como a história se organiza e tudo se encaixa perfeitamente. Mas e agora? Cadê a grana para contratar alguém para modelar, outro para cuidar dos sons e músicas, outro para codificar tudo etc?

Aí que entra o Kickstarter. Você apresenta seu projeto da melhor forma possível, estipula o valor necessário para finalizá-lo, espalha o link como puder e quem se interessar pode investir uma graninha para torná-lo realidade. Há toda uma segurança para o “investidor” caso o projeto não atinja a cota, então em relação a isso é bem seguro. O Indiegogo funciona da mesma forma, com a exceção de que a plataforma é exclusiva para jogos, enquanto o Kickstarter suporta qualquer tipo de projeto.

Inclusive há um caso em que um rapaz que arrecadou mais de US$ 55.000 com um incrível projeto: fazer uma salada de batata. Mas deixemos esta história para outro dia, quando eu descobrir o que fazer no Kickstarter para ficar rico.


Eu num futuro próximo

Em um mundo de arco-íris, unicórnios e duendes com potes de ouro, isso talvez funcionasse às mil maravilhas. Infelizmente, este não é o caso do mundo em que vivemos.

Um dos casos mais famosos e controversos é o de Godus. Projeto liderado por ninguém mais ninguém menos que Peter Molyneux. Se você não é velho como eu, provavelmente nunca ouviu falar deste senhor, mas ele foi uma figura importante na indústria de games no passado. Trazendo em seu currículo jogos crássicos como Populous, Black & White, Black & White 2, Fable e vários outros. Sendo que Populous e a franquia Black & White fazem parte do gênero “God Games”. God Games são jogos onde você literalmente assume o papel de uma divindade que deve guiar seu povo através das eras. Ajudar a combater ameaças, fazer milagres para impressioná-los ou puní-los são apenas alguns dos aspectos de gameplay.

Mesmo na época destes jogos (Populous foi lançado em 1989 e Black & White em 2001), Peter Molyneux era conhecido por fazer muitas promessas e não entregar o prometido, o que nos leva de volta a Godus.

No fim de 2012, iniciou-se uma campanha no Kickstarter para o Godus. Segundo as promessas de Molyneux, o jogo seria “uma versão moderna de Populous, num mundo vivo e aberto e com um multiplayer fantástico para PC, Mac, Android e Linux”. Não existem palavras mais doces para um fã de God Games. Ainda mais vindo de quem vem. Assim, mais ou menos US$ 800.000 foram arrecadados.

4 anos depois, após muitas, muitas, MUITAS controvérsias e incontáveis acusações de má fé, Godus foi praticamente abandonado e a chance de um dia sair do Early Acess é cada dia menor. Grande parte da equipe original simplesmente desistiu do jogo e saiu da 22cans, a empresa de Molyneux. O que sobrou e os novos contratados, agora, foram redirecionados a outro projeto completamente diferente, o The Trials. As pessoas que acreditaram e pagaram com seu suado dinheirinho para ter o jogo sentem-se, com toda a razão, diga-se, indignadas. A única coisas que elas têm por acreditar nas promessas de Molyneux é um jogo incompleto, cheio de bugs e com pouquíssimas das promessas cumpridas. E o dinheiro não foi e nem será devolvido.


HARHARHAR

Existem muitos mais exemplos como este. Alguns bem piores, aliás, como Mighty No.9, The War Z, Spacebase Df-9 e vários outros.

Early Acess, Kickstarter e Indiegogo são ideias ótimas, têm potencial para ajudar e muito desenvolvedores e jogadores e já trouxe vários jogos e outros projetos muito bacanas à vida. Mas não confiem cegamente, não importa o quão lindo e brilhante o projeto seja. SEMPRE pesquise muito bem quem está por trás, se o projeto conta com alguma outra fonte de financiamento, cobre updates e, em caso de falcatrua, xingue muito no twitter. De verdade. Mande e-mails para jornalistas que focam em jogos, postem em páginas sobre jogos que, uma hora, a falcatrua será exposta.

E você? Já comprou algum jogo no Early Acess e se arrependeu? Conte sua experiência para não cairmos na mesma furada!




Comenta aí :)
Já possuo uma conta
Quero criar uma conta