O melhor jogo cooperativo que você vai encontrar

Procurando um bom jogo cooperativo para se divertir com um amigo? Se sim, então você chegou ao lugar certo.

15/12/2020 Última edição em 15/12/2020 às 10:46:24

Jogos eletrônicos cooperativos estão perdendo muita de sua força nos últimos anos. Se no passado a grande maioria dos games tinham um modo coop, hoje poucos são os lançamentos com um modo assim, sendo que entre esses poucos, ainda menos jogos dão suporte ao coop local através da tela dividida. Nessa indústria tão carente desse estilo de jogo, nós temos A Way Out, um jogo de 2018 que pode lhe proporcionar a melhor experiência que você terá em um jogo cooperativo.

Tanto coop online quanto em tela dividida estão disponíveis, sendo que, se você quiser jogar o game online com algum amigo, basta que um de vocês compre o jogo para que os dois possam se divertir. Nada de um modo onde você joga junto de bots, em A Way Out você terá que jogar com uma outra pessoa, afinal, a cooperação é essencial para a experiência.

A Way Out é um jogo bastante cinematográfico que começa com um propósito bem simples: você e seu amigo, que controlam os personagens Vincent e Leo, devem conseguir encontrar um jeito para escapar da prisão onde eles se encontram. Tudo começa bem devagar, com os jogadores se familiarizando com o presidio e as mecânicas do jogo, até que, aos poucos, o game vai desenvolvendo os dois personagens e a grande amizade que surge entre eles. Tempo de jogo não é o que falta, afinal, o game facilmente chega nas 5 horas, o que é bem mais que a duração de um filme normal, mas é suficiente para você finalizá-lo em um dia, o que casa bem com a proposta cinematográfica de A Way Out.

Como os videogames são uma mídia de entretenimento bem menos restrita que os filmes, A Way Out consegue explorar todo o cenário da prisão e os locais posteriores de uma forma incrivelmente imersiva. Toda a jornada é bastante scriptada, mas você tem liberdade para conversar com vários NPCs e fazer uma penca de atividades opcionais, que te colocam muito mais imerso em todo aquele universo e realmente engajado nos eventos da história. Os ambientes são realmente vivos e os NPCs parecem ser pessoas reais e não apenas modelos 3D feitos para preencher cenários. Com isso, temos um mundo que, como um todo, é bastante vivo e realista.

No quesito de jogabilidade, A Way Out aposta no seguro e apresenta uma gameplay bastante básica, mas que surpreende um pouco por sua grande variedade, indo de simples sessões de puzzles até partes com tiroteios, perseguições e condução de diferentes veículos. No começo do jogo, o que mais fazemos é o clássico leva e traz de itens, que era algo recorrente nos jogos antigos da série Resident Evil. O sistema é bem simples, normalmente basta dar um jeito de coletar algum item específico e leva-lo até o lugar onde ele será útil, porém esse sistema é muito bem dosado na gameplay, o que o impede de se tornar repetitivo. Em alguns poucos momentos, a trama acaba se arrastando um pouco, o que até cria uma certa repetitividade – essa que felizmente desaparece bem rápido.

Já que o coop é obrigatório em A Way Out, é óbvio que ele é essencial para a progressão no jogo. Não é como se fosse algo artificial colocado ali de forma forçada. Na maioria das vezes, nós realmente precisamos de nosso parceiro e temos que confiar nele de verdade, afinal, sozinhos jamais conseguiríamos escapar daquelas circunstâncias. Em alguns momentos, essa cooperação até fica um pouco forçada, com o personagem precisando da ajuda do outro para fazer atividades bem simples, porém, no geral, tudo é muito orgânico e faz com que nós sintamos que sem aquele outro jogador o jogo jamais iria conseguir realmente progredir. Graças a isso, o jogo lhe proporciona uma experiência coop muito única, que realmente se aproveita do fato de A Way Out ter sido exclusivamente pensado para o cooperativo.

A grande falha de A Way Out é tentar ser megalomaníaco. Durante sessões mais calmas do jogo, já fica evidente que o orçamento de seus desenvolvedores foi bastante limitado, porém nelas isso não interfere tanto, mas quando o jogo tenta criar grandes momentos de ação, as falhas na jogabilidade e na inteligência dos inimigos ficam mais que claras. Até mesmo problemas de desempenho vão surgindo nesse momento, o que faz desses grandes momentos de ação ainda mais problemáticos. O que suaviza todo esse problema é que são poucos os momentos assim e eles ao menos servem para dar um pouco de ação ao game, que de forma geral, se foca bem mais em construir momentos extremamente tensos.

São em seus últimos momentos que A Way Out consegue brilhar na ação, trazendo uma sessão focada nos tiroteios bem mais contida, que consegue aproveitar todo clima do jogo e não ser apenas mais um momento onde você atira em vários inimigos genéricos. Há uma grande construção dramática para esse final e quando você chega lá, o jogo lhe deixa em uma situação completamente difícil, que pega pesado no emocional e explora muito bem o fator do cooperativo. Jogos como Gears 5, Cuphead e Luigi’s Mansion 3 podem até ter um modo coop muito interessante e divertido, mas A Way Out é um raro exemplo de game que explora essa cooperação de uma forma absolutamente brilhante em sua trama e gameplay.

Mesmo que você não goste de jogos lineares, A Way Out ainda pode ser um prato cheio para você. Mesmo que como um todo o jogo não te dê uma grande liberdade, as escolhas que você vai tendo que fazer realmente pesam e impactam um pouco no direcionamento do jogo, deixando um grande peso em suas mãos. De forma geral, A Way Out consegue impressionar por explorar muito bem o potencial da mídia dos videogames, misturando o estilo cinematográfico dos cinemas com o potencial não-linear dos videogames, isso tudo aliado a um coop muito bem trabalhado, que talvez seja o mais bem feito de toda a indústria. A Way Out pode até não ser perfeito, mas é garantido que ele lhe trará uma grande e marcante experiência que você não vai conseguir esquecer tão cedo.




1 comentário(s)
Já possuo uma conta
Quero criar uma conta
Joke
1 mês atrás
Ainda não joguei, mas pretendo, é maneiro pra caramba o conceito que esse game traz pro cooperativo.