Jogos que marcaram o ano de 2020

Entre a imensidão de games lançados durante o ano, muitos foram bombas completamente decepcionantes, mas alguns conquistaram seu espaço e, de algum jeito, marcaram 2020. Confira!

04/01/2021 Última edição em 04/01/2021 às 16:15:48

Mesmo que 2020 tenha sido um ano completamente caótico e absolutamente atípico, assim como em todos os anos, ainda foram lançados vários jogos eletrônicos. Entre a imensidão de games lançados por todo o ano, muitos foram bombas completamente decepcionantes, mas alguns conquistaram seu espaço e, de algum jeito, marcaram 2020. E será sobre esses jogos que falarei hoje nessa lista, então vamos lá.

Animal Crossing: New Horizons

O novo Animal Crossing foi o grande lançamento da Nintendo nesse ano e, surpreendentemente, o jogo se tornou um dos maiores sucessos de 2020. Se em outro ano Animal Crossing: New Horizons seria apenas um jogo divertido ótimo para se curtir com toda família, em 2020 ele caiu como uma luva, trazendo um pouco de frescor para essa época tão difícil, isso pelo jogo explorar um lado mais divertido e descompromissado dos videogames.

Fall Guys

Outro game completamente focado na diversão que marcou muito esse ano foi Fall Guys. Lançado para Playstation 4 e PC, esse jogo explorou outro lado dos jogos Multiplayers e trouxe muita diversão e risadas, mesmo que o jogo em si seja uma competição entre várias pessoas. Fall Guys é uma forma incrível de se divertir com amigos, competir e, por um momento, esquecer de tudo de ruim que está acontecendo.

The Last of Us II

Indo na contramão dos jogos divertidos e descompromissados que marcaram esse ano, The Last of Us II trouxe uma experiência muito emotiva, violenta e que em alguns momentos pode ser bastante incômoda, mas que é absolutamente necessária e tem uma mensagem indispensável. E claro que, além disso, o jogo também trouxe uma jogabilidade digna de um jogo da nova geração, elevando o padrão de qualidade na indústria de games.

Tell me Why

Outro jogo com uma mensagem muito importante que marcou esse ano foi Tell me Why, que colocou o jogador em uma imersiva história sobre problemas familiares, preconceito e aceitação. O jogo é um verdadeiro marco para a representação de pessoas transgênero dentro dos videogames e deve se tornar um exemplo a ser seguido por outros desenvolvedores da indústria que pretendam trazer representatividade LGBT em seus jogos.

Ori and the Will of the Wisps

Ori and the Will of the Wisps é um exemplo para quase tudo dentro do mundo dos videogames. O jogo conta uma emocionante e simples história, traz uma gameplay infinitamente superior à de seu antecessor, uma trilha sonora linda e marcante e apresenta visuais que talvez sejam os mais bonitos já feitos em um jogo 2D. É essa combinação de elementos que formou um dos melhores e mais marcantres jogos desse ano.

Cyberpunk 2077

Cyberpunk 2077 era, provavelmente, o jogo mais esperado de 2020 e talvez até de toda essa década, mas infelizmente pelos seus inúmeros problemas técnicos, o jogo foi considerado como decepcionante em seu lançamento. O que muitos não sabem é que escondido dentro de tantos problemas, temos um dos melhores jogos dessa geração e um marco para os games do gênero de RPG, que após algumas correções, deve marcar muito mais positivamente do que pelos seus inúmeros problemas.

Doom Eternal, Ghost of Tsushima e Assassin’s Creed: Valhalla

Talvez você não entenda direito a relação entre esses três jogos, então permita-me lhe explicar antes de tudo: todos esses três games de alto orçamento, apesar de terem uma narrativa bem concreta, se focam mais em dar uma divertida experiência Singleplayer ao jogador, o que é absolutamente necessário.
Em uma indústria onde os jogos de alto orçamento focados na diversão vão cada vez mais se limitando ao Multiplayer, esses três apostam em um estilo mais raiz. São jogos gigantescos que não se focam completamente na narrativa, se mantém visando principalmente o Singleplayer e mesmo assim trazem muita diversão, isso tudo mantendo uma alta qualidade.

E lembre-se que nem todo jogo marcante é necessariamente bom. Um ótimo exemplo disso foi o último game da franquia Velozes e Furiosos, que conseguiu marcar a indústria dos videogames nesse ano de uma forma completamente negativa, mostrando exatamente como não se fazer um jogo baseado em uma franquia cinematográfica.

Curtiu essa lista? Qual jogo você incluiria ou retiraria daqui? Sinta-se livre para comentar! E depois desse post, continue acompanhando a Rede Blast em suas redes sociais e não perca a oportunidade de conferir outros textos do Site e também ficar ligado na programação da nossa rádio.




Comenta aí :)
Já possuo uma conta
Quero criar uma conta