Invincible: a desconstrução saturada que tanto amamos!

A nova série animada do Prime Video acabou de chegar, mas já ganhou as graças do público.

01/04/2021 Última edição em 03/04/2021 às 11:45:57

Há quem defenda que vivemos uma nova era de ouro dos super-heróis por conta das diversas produções que nos são entregues. Em contrapartida, há quem diga que o gênero saturou e não é mais possível inovar e trazer outras vertentes. Talvez todos estejam certos, pois tentativas de paródias e desconstruções estão ficando cada vez mais comuns e algumas delas acabam se tornando sucessos literalmente do dia para a noite. Os super-heróis seguem padrões: ou são exemplos de “altruísmo culposo” como Batman e Homem-Aranha, ou símbolos de esperança como Superman e Capitão América. Mesmo que existam anti-heróis como Deadpool e Lobo, é fato que esse lado do heroísmo não supre as necessidades de um público que anseia por renovação. Mas além de novas visões, é necessário um grande apelo comercial, algo que as histórias em quadrinhos não têm há anos. Por isso que The Boys ganhou uma legião de novos fãs depois de sua adaptação para série.

É o caso de Invincible, que não é Live Action, mas é igualmente chamativa por se tratar de uma animação com classificação 18 anos. É baseada na história em quadrinhos de mesmo nome publicada entre 2003 e 2018, mas que apenas agora é conhecida pelo grande público. O criador da obra é Robert Kirkman, reponsável também por The Walking Dead. E as ligações com a história de zumbis não param por aí, pois Steven Yeun (ator que interpretou Glenn Rhee) dá voz a Mark Grayson, o protagonista da série.  O elenco original conta também com J. K. Simmons (trilogia Homem-Aranha), Mark Hamill (Star Wars), Zazie Beetz (Deadpool 2, Coringa), Zachary Quinto (Heroes, Star Trek) entre outros. Mas se você pretende assistir com a dublagem brasileira, é bom saber que o trabalho está igualmente caprichado.

Na trama, acompanhamos Mark Grayson, um jovem de 17 anos que é filho do maior herói do mundo, o Omni-Man. Quando seus poderes finalmente despertam, é hora de aprender na prática como ser um herói. Mesmo com uma base muito clichê, a série consegue divertir. Até o momento foram liberados 3 episódios, sendo que agora será um por semana até o dia 30 de abril (seguindo as tendências das novas produções de streaming).

Invincible é a nova aposta do Prime Video. Imagem: Divulgação.

O começo de Invincible pode te enganar pois parece ser mais do mesmo. Mas as coisas começam a esquentar já no fim do primeiro episódio com uma conclusão chocante e totalmente inesperada. O mistério por traz desse acontecimento sem dúvidas vai guiar toda a temporada, sendo que seu desfecho pode ser catastrófico. Os episódios são bem longos, com mais de 40 minutos cada. Em alguns momentos é corrido e outros arrastado, mas isso é típico de produções assim, pois afinal de contas nem só de ação desenfreada vive uma história.

Mas a série encontra na ação seu ponto alto, mesmo que nesse começo seja um tanto perdida e sem propósito. E isso se liga aos vilões que não mostram relevância para a trama, sendo apenas motores para a destruição e pancadaria. Mas estamos apenas no começo, então ainda pode melhorar. Já que é destinada ao público adulto, espere palavrões e bastante sangue e violência gráfica. Tem muitos discursos motivacionais, mas quem acompanha The Flash já está acostumado. A qualidade da animação em si é satisfatória, lembrando o traço dos filmes do Universo Animado DC ou até mesmo da atual série do Homem-Aranha. É um visual amado por uns e odiado por outros, mas para bem ou para mal ele foi escolhido.

Marvel's Spider-Man (desenho); Invincible e Liga da Justiça: Guerra. Imagens: Reprodução.

Um mérito de Invincible é o uso pontual dos personagens de apoio, que são em sua grande maioria cheios de carisma. Até aqueles e aquelas que não têm tanto tempo de tela chamam a atenção, seja pelo visual ou personalidade. Aparentemente todos os heróis possíveis já foram criados, então abraçar a desconstrução é sem dúvidas o melhor caminho, mesmo que várias outras obras já tenham feito isso. O Superman é o principal alvo dessa onda, mas ainda assim é interessante ver os caminhos que esses personagens trilham. O Capitão Pátria/Homelander de The Boys e o Omni-Man de Invincible se ligam por serem baseados no último filho de Krypton, mas tem personalidades próprias, sendo personagens intrigantes e que tem muito potencial de crescimento. 

Omni-Man e Capitão Pátria/Homelander. Imagens: Divulgação.

A nova série do Prime Video vale pelo menos a curiosidade. É mais um produto da desconstrução dos super-heróis, mas é feita com dedicação e visando agradar tanto quem ama uma história clássica de heroísmo, quanto quem não é tão fã e só quer ver o circo pegar fogo (cidade, no caso).




Comenta aí :)
Já possuo uma conta
Quero criar uma conta