Um samurai, uma gata e uma lenda

Quem não conhece o Maneki Neko, um dos amuletos de sorte mais famosos do Japão e, quem sabe, de todo o mundo? Conhecido também como “Gato da Sorte”, esse talismã é muito especial para os japoneses, e é famoso por atrair muita sorte, proteção, prosperidade, felicidade e saúde. 

08/11/2018 Última edição em 08/11/2018 às 11:10:00

Yooo pessoal! Que tal conhecer mais uma lenda nipônica? E essa é uma das minhas preferidas, gosto tanto que tenho dois Maneki Nekos enfeitando minha humilde residência. =D

E quem não conhece o Maneki Neko, um dos amuletos de sorte mais famosos do Japão e, quem sabe, de todo o mundo? Conhecido também como “Gato da Sorte”, esse talismã é muito especial para os japoneses, e é famoso por atrair muita sorte, proteção, prosperidade, felicidade e saúde. 

Maneki Neko significa, literalmente, “gato acenando”, e com toda certeza você já deve ter visto algum por aí ou acolá, seja em animações japonesas, ou mesmo em lojas com temáticas orientais. Na verdade sua popularidade é tamanha, que não é de se estranhar que você já o tenha visto e outros lugares nada convencionais. 

Talvez o que poucas pessoas saibam, é que os japoneses têm várias lendas e contos para explicar a transformação do bichano em amuleto da sorte. Porém a mais popular é, sem dúvida, a lenda associada ao Templo Gotokuji. 

A lenda 

Há muito tempo, ainda no período Edo, por volta do século XVII, existiam um templo chamado Gotokuji. Esse templo ficava dentro da província de Setagaya, em Tóquio. Na época ele era um templo decadente, em situação muito precária financeiramente. Os monges que ali habitavam praticamente não tinham o que comer, e o templo estava em estado de ruínas. Uma situação bem difícil, a qual os monges não sabiam como contornar, já que o templo não possuía mais tantos seguidores como antigamente, e com isso, quase nenhuma contribuição os era ofertada. 

Junto desses monges, vivia um velho monge budista que tinha como companhia uma gatinha, chama Tama. Sempre solitário, o monge conversava com Tama, lamentando-se, quase sempre sobre a fase de penúria em que o templo se encontrava, e mesmo com todas dificuldades pela qual passava, o velho monge sempre achava um meio de alimentar sua fiel companheira. Tama sempre escutava atentamente as lamúrias do velho monge, mas claro que ele sabia que Tama não o ajudaria a solucionar seu sofrimento, mas, pelo menos, falar sobre a sua situação, amenizava a sua dor.  

Um dia, um jovem guerreiro samurai que retornava para sua casa depois de uma incessante batalha, foi pego de surpresa por uma tempestade muito forte. Era impossível continuar seu caminho de volta para casa, naquelas condições. O vento soprava forte, raio e trovões cortavam o céu, a chuva caía com tanta força que rios se formavam nas estradas que precisava percorrer. No meio de tal tormenta, não viu outra opção, a não ser se abrigar embaixo de uma enorme árvore. 

A primeira vista, ele não tinha percebido que ali, bem perto de onde estava, havia um templo. Era o decadente templo Gotokuji. Ao olhar mais atentamente para aquele local, que mais parecia um mausoléu abandonado, ele vislumbrou uma gata. Era a gata Tama, do velho sacerdote budista. Mas não foi a presença da gata que chamara sua atenção. Sentada sobre suas patas traseiras com a pata dianteira levantada, ela parecia estar acenando para ele, como se o estivesse chamando. Curioso e muito surpreso com a habilidade do bichano, o jovem samurai decidiu seguir sua intuição, que o fez seguir em direção a gata, para se abrigar no templo. Instantes depois de seguir seu caminho até Tama, algo repentino surpreendeu o samurai. Um raio fulminante atingiu a árvore, onde, outrora, ele se abrigava. Ele ficou muito assustado com o que viu, já que se ainda estive lá, sem dúvida não teria sobrevivido. Imediatamente o guerreiro percebeu que aquele gesto da gata havia lhe salvado a vida. 

Aliviado e certo de que sua vida havia sido salva por Tama, o jovem Samurai entrou no templo para rezar em agradecimento. Logo ao entrar, notou a pobreza e a condição lamentável em que ele se encontrava. Não teve dúvidas, resolveu doar todo o dinheiro que levava consigo para recuperar o desgastado templo, comentando com todos sobre a sabedoria do grande Buda em guiá-lo até aquele local

Grato pela gata ter salvado sua vida, o samurai fez do Templo Gotokuji, um local de culto de toda sua família, trazendo, desta forma, prosperidade para o local que passou a ser visitado por todas as pessoas da região.  

Quando Tama morreu, ela foi enterrada em um cemitério especial e como homenagem, uma estátua foi criada a sua semelhança. As réplicas em miniaturas da escultura passaram a ser distribuídas no Templo como lembranças, tornaram-se mais tarde um amuleto da sorte, conhecidas como “Maneki Neko”. E até os dias atuais, são reverenciadas e vendidas no próprio templo em Setagaya. No local, também são depositadas milhares de placas de madeira com pedidos dos visitantes que acreditam que os Maneki Nekos continuam trazendo muita sorte e fortuna. 

Bom, claro que essa é apenas umas das histórias que explicam a origem desse bichano que muita gente ama de paixão, tamanha a fofura. Quem sabe eu não traga as outras lendas para vocês em outra oportunidade?! ^^

Então, por hoje é só pessoal!

Até a próxima!!!




2 comentário(s)
Já possuo uma conta
Quero criar uma conta
Snow
13 horas atrás
eu tenho 1 bidido!!!
Ashllan
1 semana atrás
Eita com dois em casa haja sorte, e riqueza também kkkk