Trillion: God of Destruction – Review

Confere aí!

15/04/2016 Última edição em 15/04/2016 às 00:00:00

Trillion: God of Destruction – Akiba’Spot Review

Trillion: God of Destruction é um daqueles jogos que chega com uma proposta completamente diferente e acerta em cheio. Nada de hordas de inimigos, fases complexas e bosses que vão ficando mais fortes a cada fase. Em Trillion: God of Destruction, o objetivo é apenas um: matar Trillion.

Na história do jogo, o Submundo é invadido por uma entidade lendária que quer devorar o núcleo do Submundo. E você, no papel de Grande Overlord, deve defendê-lo com todas as suas forças. Para isso, você irá contar com a ajuda de 6 overlords, guerreiras fiéis e poderosas.

A proposta do jogo me lembrou muito as sagas de Freeza e Majin Boo, onde Goku ficava 6 meses treinando para ficar mais fortes e então derrotar os inimigos. E, basicamente, é isso que você deve fazer em Trillion. Treinar as overlords para que fiquem mais fortes e derrotem o vilão comedor de submundo.

Antes que você pense que o personagem principal é um “almofadinha” que não quer “colocar a mão na massa”, Zeabolos, o Grande Overlord, não vai à luta pois quase morreu justamente enfrentando Trillion. Bom, na verdade, ele morreu, mas foi ressuscitado por um dos personagens do game e se tornou meio zumbi, meio Frankenstein.

A partir daí, ele conta com a ajuda das 6 Overlords, garotas que são uma espécie de generais do submundo. Elas recebem o poder de Zeabolos, através de um anel especial, e passam por um árduo treinamento para destruir Trillion. Como só há um anel, elas devem enfrentar o vilão devorador uma de cada vez.

Assim, antes de cada batalha com Trillion, você segue a história de uma overlord. A princípio, apenas 3 estão disponíveis para escolha. Além de aumentar os status de comuns como pontos de magia, vida, força etc, é fundamental ficar de olho nos chamados “affection points”. Isso porque eles funcionam como uma espécie de pré-status. Antes de os outros status começarem a diminuir, os Affection Points são afetados. Quanto mais Affection Points, maiores suas chances de matar Trillion.

Esses pontos são adquiridos à medida que você cria intimidade com a sua Overlord. Para isso, é necessário passar o tempo com ela ou dar presentes. Mas cuidado: cada overlord tem seus gostos pessoais, e um presente errado irá diminuir os Affection Points.

Os dias de treinamento são divididos por ciclos. Ao final de cada ciclo, antes da batalha contra o vilão, você enfrenta Mokujin, uma criatura de madeira que pode simular Trillion. Outro detalhe a prestar atenção é que os treinamentos geram fadiga. Treinar todos os dias irá fazer com que sua overlord fique sem poder treinar por um período.

Uma forma de levantar dinheiro e adquirir itens é ir ao Valley of Swords, uma espécie de “estágio especial” onde você deve cumprir sua missão com um número especifico de rodadas. Lá você também poderá se familiarizar com a mecânica de combate e os comandos do personagem. Ainda há um treino especial contra outra overlord que acontece de forma aleatória.

Em Trillion: God of Destruction, tudo gira em torno de tornar sua overlord mais forte, elaborar a estratégia correta e dar os passos certos na hora da batalha. Apesar de a primeira vista de parecer um Tactics, Trillion está muito mais para um strategy rpg com elementos de rogue like. Neste sentido, parece estar muito mais próximo de Sorcery Saga do que Disgaea.

Aliás, a comparação com Disgaea é muito comum por quem ainda não jogou Trillion. Mas há um fundo de razão nisso. O visual do game e sua trilha sonora lembram demais o Tactics, e o enredo até tem alguma semelhança. E não para por aí! Trillion: God of Destruction tem muito do senso de humor de Disgaea, mas trás uma dose de tragédia extra (sem spoilers).

Trillion: God of Destruction ousou ao propor um estilo diferente para um gênero manjado e deve colher bons frutos por isso. Tudo é muito bem executado, dos personagens carismáticos à imersão nas batalhas contra Trillion. No entanto, em algum momento o jogo pode se tornar um pouco repetitivo antes de engrenar novamente. Leia o adendo abaixo:

*Antes de completarmos este review a Ifi disponibilizou um conjunto de DLCs grátis que adicionam os personagens de Hyperdimension Neptunia ao game. Fomos obrigados a rever a nota anterior (8.5) após a DLC. Isso por que o conteúdo extra não apenas leva diversos itens para serem utilizados, como também insere as personagens na história dando uma dose de humor típico da NepNep ao enredo.

Score: 9/10

*Trillion: God of Destruction foi gentilmente cedido pela Idea Factory International ao Akiba'Spot para fins de análise. 




Comenta aí :)
Já possuo uma conta
Quero criar uma conta