Sally Whitemane é a nova heroína de Heroes of the Storm

Anunciada o novo herói de Heroes of the Storm, Sally Whitemane, direto das masmorras de World of Warcraft para os campos de batalha do Nexus.

27/07/2018 Última edição em 27/07/2018 às 19:16:30

A Cruzada está chegando

Para a alegria de uns e para a tristeza de outros, após clássicos tweets misteriosos que Blizzard costuma lançar antes de divulgar um novo herói em seu Twitter oficial, Sally Whitemane foi confirmada como a mais nova personagem a chegar no território do Nexus em Heroes of the Storm, o moba da casa de grandes produções como Overwatch e HearthStone.

Muitos especularam que poderia ser o poderoso Imperius vindo das terras do paraíso de Diablo ou o intimidador Valerian Mengsk, do Império Terrano de Starcraft, devido às imagens remetendo à realeza e nobreza divulgadas pela Blizzard no decorrer da semana. Quem se aventurasse pelos posts da empresa se depararia com um enorme portão dourado reforçando a ideia dos jogadores para estes dois personagens emblemáticos há muito pedidos pela comunidade para o game, mas o mistério acabou quando a empresa finalmente revelou na tarde desta quinta-feira (26) que o novo herói do Nexus na verdade é mais uma personalidade de Azeroth, tratando-se da Alta Inquisidora da Cruzada Escarlate de World of Warcraft, Sally Whitemane, o que surpreendeu a muitos e não de forma positiva.

Warcraft de novo?

Levando em consideração que o último herói lançado em Heroes of the Storm foi do universo de WoW, a paladina draenei Yrel, alguns alimentavam a ideia de que um personagem de outro universo fosse algo mais preciso, mesmo sabendo que a Blizzard nunca teve um padrão ao lançar seus heróis para o moba. Esse é um dos pontos mais questionados pela comunidade de Heroes of the Storm.

O jogo tem como foco reunir os personagens mais icônicos do multiverso da Blizzard em campos de batalha para partidas entre equipes, com uma mecânica mais simples, porém conflitos mais intensos do que outros títulos do gênero como League of Legends, todavia, algo que é perceptível até mesmo para os viajantes novatos em Hots é que o game possui uma gama muito maior de personagens de World of Warcraft do que de outros universos da Blizzard. Praticamente metade dos personagens de Heroes of the Storm são do universo de World of Warcraft enquanto os outros demais 4 universos da empresa norte-americana dividem a outra metade do bolo. Para alguns isso é facilmente justificável, o mundo de WoW é absurdamente grande e complexo, possui personagens para dar e vender, e facilmente poderia encher mais centenas de colunas de heróis em Hots com personalidades das mais distintas, principalmente se a Blizzard desse espaço para personagens não tão influentes na trama como é o caso do murlock Murquinho, que para a história de WoW contribui em quase nada (até hoje só o vi em uma única linha de quests, me corrijam aqueles que o viram mais vezes), e para o desânimo de alguns foi exatamente isso que a Blizzard fez.

A famosa Sally WHO?

Sally Whitemane não é nem de longe a rainha do playground de Azeroth, suas aparições no game não são numerosas, o que tornaram seu nome altamente questionado pela comunidade de Heroes of the Storm. Muitos não sabiam quem ela era, principalmente aqueles que não jogam ou jogam World of Warcraft há pouco tempo, sendo necessário uma consulta rápida a lore do game para tentar localizar essa personalidade avermelhada e potente que já rendeu ótimos cosplays em eventos geek.

Sally Whitemane é a Alta Inquisidora da Cruzada Escarlate, um grupo de religiosos seguidores da luz (para não dizermos fanáticos) empenhados em combaterem forças do Flagelo a qualquer custo. Conhecidos principalmente por comporem o cenário de uma das masmorras do jogo onde Whitemane é o desafio final, a Cruzada Escarlate é descrita durante a lore de World of Warcraf como um influente grupo que surgiu em Lordaeron se tornando um centro religioso e um abrigo espiritual para os habitantes da região, todavia afastou-se de seus princípios pouco a pouco ao perder espaço para o temível Flagelo, a legião de mortos-vivos comandada pelo Lich Rei, por fim tornando-se uma sociedade opressora que matou dezenas de inocentes simplesmente por não participarem deu seu círculo "sagrado". A Cruzada Escarlate seria um reflexo do que foi a Igreja Católica durante a Inquisição na Idade Média, caçando bruxas e queimando hereges em fogueiras.

Como a maioria dos fanáticos religiosos, Whitemane teve um passado perturbado pelos seus inimigos. Desde criança já possuía em sua mente o desejo de se unir à Cruzada Escarlate enquanto brincava de purificar monstros e vencer inimigos imaginários ao lado de seus amigos, o que ela não esperava era que a morte de sua família por causa do Flagelo despertaria dentro de si um desejo ardente de expurgar este mal de Azeroth. Sally foi obrigada a matar seus familiares quando estes foram tomados pelo Flagelo, e um acontecimento como esse a gente nunca esquece.

Mas se a história de Whitemane já seria facilmente descrita como trágica até aqui, mais para frente tornou-se ainda pior. Uma das características mais marcantes de Sally era sua imortalidade, a Alta Inquisidora havia dominado a arte da ressurreição em sua jornada por poder, sendo a única condição para sua morte permanente ser abatida por poderosos artefatos sagrados, as Lâminas do Ungido, guardadas dentro do próprio mosteiro da Cruzada Escarlate e posteriormente roubadas pela renegada Lilian Voss, quem finalmente conseguiu concluir o abate de Sally Whitemane. O que, no entanto, a ironia do destino reservava para a Alta Inquisidora foi um destino sombrio onde Sally se tornou parte daquilo que mais odiava.

Renascida por Thassarian e o Senhor da Morte como a terceira dos quatro novos cavaleiros da morte a servir o Lich Rei, Sally Whitemane se encontrava mais poderosas do que nunca e ao lado de seus novos aliados e da criatura Daumyr, combateu a legião ardente na Costa Partida.

Em Heroes of the Storm

Uma coisa interessante a se analisar sobre o anúncio de Sally Whitemane em Heroes of the Storm é o tweet da própria Blizzard onde a personagem deixa clara coisas que ela odeia; "Scourge, Demons, Lilian", em tradução literal "Flagelo, demônios e Lilian". O primeiro é questionável, visto que em vida Sally dedicou cada suspiro sem em lugar contra o exército de mortos-vivos do Lich King, mas em morte tornou-se um dos principais componentes do mesmo. O segundo ponto torna-se também levemente questionável, visto que a luta de Sally contra os demônios deu-se mais em sua morte do que em sua vida, mas o terceiro nos deixa uma pulga atrás da orelha... Estaria Lilian Voss também a caminho do Nexus? Certamente esse seria um embate que eu adoraria ver.                               




Comenta aí :)
Já possuo uma conta
Quero criar uma conta