Las Noches visita a mansão de Konekomaru

Eu fui convidado pelo próprio Konekomaru, senhor do tempo e do dinheiro, para ir visitar umas das suas mansões e olhá no que deu!

23/08/2019 Última edição em 23/08/2019 às 11:38:25

OPAAAA BLASTERS!
Suave? Tranquilo? De boas?

Então, finalmente o mistério foi resolvido, tudo foi esclarecido e nem precisamos do Scooby-Doo e seus amigos para descobrir a verdade. Se você não sabe do que estou falando eu vou te ambientar, sem pressa, já se acalmou? Beleza! A Blast tem uma equipe bem mistificada e cheia de surpresas, e um desses mitos é o que chamo de Quinteto dos Ricos que são os mais bem-sucedidos na sociedade e com os maiores digitos nas suas contas bancarias nas Bahamas.

O Quinteto vai mudando conforme o tempo e a posição financeira e social dos membros, e atualmente contamos com: Ashllan, Nobunaga, Sky, Meglias e Konekomaru, cada um com seu próprio jeito de gastar dinheiro e podemos fazer uma matéria futura expondo cada um, mas hoje focaremos no Konekomaru.

Nessa parte da matéria vou falar sobre toda a minha experiência na mansão mais nostálgica de todos os tempos e na outra parte sobre minha investigação a respeito de seus "jogos justos" (Você entendera em breve).

A Trajetória

Eu moro na Zona Oeste do Rio de Janeiro, eu sei, mas manooooooooo demorou muito até chegar próximo a mansão. Para você ter noção, eu tive que pegar dois trens e ainda pagar um Uber até chegar lá e detalhe: o Uber tinha um LIMITE de proximidade do local, segundo ele que me respondeu, mas não quis dar seu nome: "Nós motoristas de Uber podemos ir a qualquer lugar desde que não seja uma área de risco ou então uma área restrita pelo governo ou privatizada, o Waze não nos deixa entrar". O Waze é o aplicativo de GPS que eles usam e como já deu pra reparar a única alternativa que encaixaria é o de área privatizada, então quando sai do carro já tinha uma limozine me esperando (ainda bem que fui arrumado com uma roupa social pra pelo menos da uma disfarçada ufaaaa), entrei nela e um tal de Alfredo, que era o motorista, disse que me levaria ao "Sr. Wagner" e explicou que normalmente usam o nome dele normal mesmo, e que Konekomaru só é usado quando esta com pessoas que serão entrevistadas ou quando esta trabalhando no seu estúdio particular. Depois de 15 minutos de carro, já dentro deu seu "quintal" onde passei por estufas, outras casas, prédios pequenos e comércios, finalmente estava na frente da mansão e se você é fã de mitologia grega, assim como eu, já deve imaginar que a porta da frente da casa dele parece o portão dos Elíseos.

Entrando na Mansão

Depois de a porta ser 3 vezes meu tamanho (e eu tenho 1.72 de altura), eu achei que não me impressionaria com mais nada, porém... Achei errado! Fui recepcionado por vários mordomos e empregadas dele (pude contar umas 10 pessoas de cada lado) dizendo em uníssono: "Seja Bem Vindo Senhor Rodrigo". Eu fiquei admirado e ao mesmo tempo perplexo. Agradeci a todos, e o que estava me acompanhando desde a limusine disse que me acompanharia até a sala de encontros. Enquanto caminhávamos eu vi vários quadros que pareciam de família, como se estivessem ordenados por geração, além disso vi várias estátuas de cachorros diferentes feitos de mármore, prata e ouro branco, e o chão era de um piso tão bem polido que parecia um espelho branco. Por onde estávamos andando tinham detalhes dourados e vermelhos como tapete, janelas, molduras dos quadros, etc. Caminhando por 3 minutos em passos largos e chegamos numa sala gigante com o tamanho de uma igreja, tinha tudo que uma sala teria só que valia mais do que minha casa multiplicado por 10, com detalhes importantes como uma lareira que mais parecia uma fornalha pelo enorme tamanho, uma televisão que de começo achei que era parte da parede de tão grande e um lustre que pensei que se cair mataria todo mundo com o tanto de vidro que voaria.

A Sala de Encontros

O Konekomaru junto com sua família vieram falar comigo e foram muito gentis! A mãe dele estava vestida como aqueles estereótipos de desenho animado para ilustrar alguém muito rico: casaco de pele (esqueci de dizer que o ar condicionado tava ligado na casa INTEIRA) que parecia de uma raposa, mas soube depois que era sintético, e tinha tanto ouro, diamante e afins que parecia uma estrela. O pai dele poderia muito bem estrelar um filme do 007 e acho que isso já resumi bem. Os outros familiares seguiam a mesma linha e o Konekomaru que tinha como detalhe relógios de pulso, de bolso e assim por diante de todos os tipos e distribuídos de um jeito tão perfeito que parecia que estavam ali sempre. Nós conversamos sobre a minha viagem até lá e, no meio do assunto, apareceram 3 gigantes cachorros que nunca tinha visto algo daquele tamanho (não conheço de raças de cachorro, mas sei que eram bem raras), eles eram brancos e tinham coleiras cravadas em diamantes e outras pedras preciosas de todas as cores, eles foram muito doces comigo.  Perguntaram o que queria e que poderia pedir qualquer coisa, e o Konekomaru viu que estava meio perdido então disse que iria me levar na sala de jogos dele, mas eu pedi para ir no estúdio dele para ver como era e então ele me levou.

Estúdio

Procure estúdio de rádio no google, agora pense em algo maior e mais tecnológico... Pronto! Esse é o estúdio particular dele, tinha várias estantes com programas gravados em Blue-Ray, vários materiais de pesquisa relacionados a desenhos antigos e atuais, filmes e séries, uma mesa de som que parecia um painel de controle de um megazord, sala acústica que tinha microfones que valiam mais do que eu e você juntos. Pedi para explorar e ele deixou. Depois de muito procurar achei uma pasta com os jogos, a pasta tinha uma senha decodificada e um cadeado que só abre com digital e DNA do usuário, mas isso não foi problema, eu levei um Cheat que o Consciência (esse cara entende dos Cheats) preparou para essas ocasiões e abri a pasta, peguei os documentos e tirei umas fotos (essa será a outra parte da matéria). Depois pedi pra a gente jogar algo e fomos para a sala de jogos.

Sala de Jogos

Depois de andar mais e passar por várias salas, finalmente cheguei a Sala de Jogos que poderia ser facilmente confundida com um parque da Disney. Brinquedos de todos os tipos e jogos de todos os países e nem preciso falar dos consoles que são literalmente TODOS!

Joguei todos. Durante esse tempo, sempre vinha um mordomo com algum petisco que eu nunca poderia comprar, quando eu precisava ir no banheiro eles me guiavam até um e faziam segurança na porta.
Os banheiros eram adornados de preto e dourado por toda a parte, tinha perfume franceses nos refis no lugar do álcool em gel, o papel higiênico era feito de notas de 20 reais e havia um aviso sobre as notas estarem totalmente higienizadas. Voltei e jogamos mais algumas horas até a hora de ir embora.

Nem preciso dizer que me divertir muito e foi muito divertido tudo, eu ganhei um kit que vinha com todos os doces de limão feitos pelos maiores chefs gastronômicos com múltiplas estrelas Michilin. Ganhei também uma edição limitada de um mangá, a mansão era cheia de referências a tudo que um nerd que sente falta de cosias antigas pode gostar, e eu vi tudo isso. Depois disso tudo só precisei voltar pra casa.

Agora, o que era aqueles documentos? Leia a Próxima matéria e você saberá. Procure por Investigação: Jogo do Labirinto




3 comentário(s)
Já possuo uma conta
Quero criar uma conta
Ashllan
3 semanas atrás
Gente eu não sabia que o papel higiênico da casa do konekomaru eram notas de r$ 20
Só faltou mostrar o sabre de luz do Star Wars vindo direto da Disney versão de luxo
Las Noches
4 semanas atrás
kkkkk muito obrigado mas é a true da true kkk não tem nada inventado
Konekomaru
4 semanas atrás
Eu to impressionado com a criatividade e o excessivo uso da zueira nessa matéria porém achei a homenagem divertida e muito engraçada.