Consoles Portáteis, do início ao fim!

"Coé raziada!" Hoje iremos falar de um ramo do mundo dos games que foi um marco histórico: Os Consoles Portáteis!

06/02/2018 Última edição em 06/02/2018 às 17:14:21

Falamemo! Com a chegada do Nintendo Switch e nem um anúncio de um novo portátil por parte de outras empresas como a Sony, ficou evidente que não teremos mais consoles portáteis, pelo menos não no formato como conhecemos, então vamos ver como esses aparelhos surgiram, até o seu fim (ou quase fim)!

Começando pela definição do que é um console portátil,  é uma plataforma para se executar jogos eletrônicos como em um console de mesa, porém ele tem telas e controles embutidos para que seja transportado pelo viciado jogador. 

Os primeiros consoles portáteis, como conhecemos, surgiram já na segunda geração de consoles em 1976, com o Mattel Eletronic's Games, com vários modelos, sendo em cada modelo um game diferente. O primeiro portátil a suportar cartuchos com diferentes jogos foi o Microvision de 1979, porém o mesmo apresentava problemas de fabricação, além do preço elevado para a época. O sucesso desses aparelhos começou mesmo em 1980, com o lançamento do Nintendo Game&Watch, que consistiam em vários aparelhos com jogos diferentes, inclusive alguns ícones da BigN surgiram nesses consoles, como o Donkey Kong. Outra revolução do Game&Watch foi a introdução de botões direcionais, que é um padrão que se usa até hoje tanto em portáteis quanto em consoles de mesa.

No início da quarta geração dos consoles de mesa, Nintendo, Sega e a Atari lançam seus novos portáteis. Primeiro o Game Boy da Nintendo em 1989, que tinha uma tela monocromática e, como sabemos, só começou a ficar extremamente popular com o lançamento de Pokémon em 1996. No mesmo ano, a Atari lança o Linx que possuía uma tela colorida como diferencial, e em 1990 a Sega entra em cena com seu Game Gear, contudo mais uma vez a BigN saiu na frente na "guerra dos consoles". Aliás vale citar aqui que, diferente dos consoles de mesa, a BigN sempre teve um grande destaque nessa categoria e antes que você fique de mimimi, o PsP não "venceu" o DS, mas vamos deixar isso para daqui a pouco.

Em 1995, foi a vez de a Sega iniciar a nova geração, lançando o seu Sega Nomad, que na prática era o Mega Drive portátil, tanto que o mesmo usava as fitas do Mega. Em 1998, a BigN entra para a quinta geração com o Game Boy Color, que eu particularmente não considero como da quinta geração, até porque o mesmo foi um upgrade do Game Boy, o mesmo tipo de upgrade que vemos no 3DS e New 3DS. Também em 1998, a SNK entra na categoria com o Neo Geo Pocket, que ficou nas prateleiras por apenas 1 ano e foi substituído pelo  Neo Geo Pocket Color. E fechando a quinta gereção tivemos o WonderSwan da Bandai, mas esse aparelho ficou apenas no Japão, mas dizem que era um ótimo aparelho com bons jogos, que inclusive recebeu um review pelo Velberan.

A sexta geração se iniciou em 2001 com o Game Boy Advance, que teve uma grande evolução no seu hardware, trazendo uma tela widescreen, melhorias gráficas e um design muito bonito. Em 2003, tivemos o N-gate e o N-gat QD, da Nokia, isso mesmo, você não leu errado. A parada foi lançada pela Nokia, mas apesar de ser um portátil, se parecia mais com um celular, sendo considerado o primeiro Smartphone da Nokia.

A tão aclamada sétima geração, sem dúvidas a melhor de todas, não foi apenas um upgrade das anteriores, mas sim tivemos uma revolução por parte das participantes Sony e Nintendo, ambas lançando seus aparelhos (Nintendo DS e PsP) em 2004. Começando pela rainha soberana dos portáteis, a BigN lança no mercado o Nintendo DS, que quase não viu a luz do dia. De acordo com boatos, os executivos achavam a ideia de lançar um aparelho com 2 telas ridícula. Esse aparelho foi revolucionário por vários aspectos, primeiro as 2 telas como já citei, sendo uma, Touch (para dar mais opções de interação com os jogos), conexões WiFi e Wireless, tela retroiluminada e bateria recarregável e, o que não podia faltar, é claro, um upgrade de hardware com gráficos 3D, sendo considerado um Nintendo 64 portátil.

Já o PsP trouxe como diferencial seu hardware ultra parrudo e tela wide relativamente grande, com gráficos próximos ao do Playstation 2. Assim como o DS, ele veio com conexões Wi-Fi e Wirelees, mas também possui infravermelho e conexão USB 2.0 e sua mídia, diferente da BigN que se manteve no cartucho, usava discos Umd, além de cartões de memória. Antes que você fale mal dos cartuchos, os de DS já eram bem desenvolvidos e possuíam uma boa memória, que na verdade era a única desvantagem dessa mídia em relação ao CD/DVD/Blue-Ray, pois cartuchos são rápidos, duradouros, etc... Agora para você que fica aí de mimimi dizendo que "o PsP vendeu mais que o DS", o PsP foi o único console da categoria a conseguir brigar com um console portátil da Nintendo, mas ficou longe de "vencer", com 86 milhões de unidades vendidas, contra 154 milhões do DS. Só a nível de comparação, o Ps2 que é o video game mais vendido da história, vendeu 155 milhões (só lembrando que todos os dados são aproximados e arredondados).

Enfim, a oitava e "última" geração, ao contrário da anterior que foi uma revolução, foi apenas um upgrade da sétima. Contudo estão saindo muitos jogos excelentes para a categoria e, em quesito de retrogamers, essa pode ser considerada a melhor. A geração se inicia em 2011 com a Nintendo lançando o Nintendo 3DS, com uma capacidade de reproduzir o efeito 3D sem óculos, melhorias de hardwere, capaz de gerar gráficos próximos ao do Wii,  além de criar fotos e vídeos em 3D e realidade aumentada. Como dono de 3DS, para mim o maior diferencial do aparelho está em sua biblioteca, que tem jogos de 3DS e retrocompatibilidade com jogos de DS e, além disso, tem Virtual Console de que vai do Game Boy ao Game Boy Advance e ainda tem jogos de outras plataformas, como Game Gear, Mega Drive e alguns títulos do Saturn da Sega.

Ao final de 2011 a Sony lança o PsVita, que assim como o 3DS, foi um upgrade da geração anterior, trazendo um hardware mais parrudo que o PsP, com alguns jogos tendo seu gráfico sendo comparados como Ps3, mas infelizmente o PsVita, assim como o Wiiu, é um console injustiçado, sendo deixado de lado pela própria Sony, mas assim como o 3DS, ele tem uma boa biblioteca retro, sendo possível baixar pela loja alguns títulos de PsP e jogos de Psone, mas sua biblioteca mesmo assim acaba muito inferior que a do concorrente, mas o maior problema ficou por conta da falta de investimento da Sony, o que acarretou nas baixas vendas do aparelho, que ficou apenas na marca dos15 milhões, contra 70 milhões do 3DS, aproximadamente.

Agora vocês devem estar se perguntando porque eu estou dizendo que o 3DS e o PsVita são a última geração de portáteis, a resposta é bem simples, primeiro o público mudou. Diferente da galera dos anos 80 a 2000, a maioria das pessoas hoje querem jogos mais casuais, que possam jogar como distração, e não como nós que nos dedicamos a um game com mais seriedade, e para isso o SmartPhone supre essa "necessidade". E falando em Smartphone, o grande vilão, cada dia que passa, são esses aparelhos estão cada vez mais presentes e sendo tão necessários quanto um documento. Essa é a parte ruim do progresso, coisas boas vão ficando obsoletas e com o tempo deixam de existir por surgirem tecnologias "melhores". E para finalizar gostaria de deixar claro aqui, que minha preferência pela Nintendo em nada influenciou essa matéria, tanto que tive PsP e PsVita, e tenho Ps4, mas de fato a BigN sempre foi muito popular nesta categoria de portáteis. Se desejar deixe aí seu comentário sobre o que achou, o que você acha que faltou e me diga qual foi seu primeiro portátil. Ahhh! Tá valendo o 9999 em 1! (XD)

Abraços!




1 comentário(s)
Já possuo uma conta
Quero criar uma conta
Kon
1 semana atrás
meu primeiro foi o 9999 em 1 mesmo XD mas o segundo foi o GBC e eu acho sim que sua preferencia pela BigN influenciou sua matéria kkk mas sem brincadeiras, tenho saudades dessa época em que os portáteis eram populares, levalos para a escola para trocar pokemons e etc, aliás tenho uma coleção qualquer dia mostro.