Conheça Ashe, a nova vilã de Overwatch

Um dos anúncios mais esperados na BlizzCon 2018 certamente era o lançamento do herói 29. Com direito a uma cinemática logo no dia da sua estreia, Ashe é a nova vilã de Overwatch e chega ao FPS da Blizzard com muito barulho, explosões e em grande estilo.

03/11/2018 Última edição em 03/11/2018 às 14:16:14

A cada três meses sempre recebemos um novo anúncio. A cada três meses um novo herói adentra o universo colorido e viciante de Overwatch, o jogo de tiro em primeira pessoa da Blizzard Entertainment. Diversificados, multiculturais, inclusivos e cheios de personalidade, os heróis de Overwatch possuem sempre características marcantes, seja física ou de personalidade. Homens, mulheres, robôs ou animais geneticamente modificados, a cada 90 dias o público recebe um novo membro na família e a "membra" número 29 se chama Ashe.

Muito prazer, cowboy

Ashe é uma personagem com uma história bem diversificada. Nascida em uma família rica, sempre teve de tudo do melhor. A melhor casa, a melhor escolha, os melhores mimos. Mas de todas as coisas das quais uma criança precisava, a única coisa que Ashe não possuía era uma família presente. E isso ao longo dos anos tornou-se não apenas um problema para uma garota solitária. Mas tornou-se também um problema para todas as pessoas que convivam com a garota. Aos poucos Ashe se tornava agressiva, impulsiva e violenta.

A história de Ashe contada pelo vídeo "História de Origem: Ashe" nos diz mais pelas coisas que deixou de verbalizar do que pelas coisas que foram faladas. Se em uma das imagens que vemos ao longo do curta é de Ashe  rodeada de tudo de melhor que o dinheiro pode lhe dar, menos dos pais (ou de qualquer outro ser humano), outra coisa que o vídeo também nos mostra é que a única forma de vida que a todo instante surge próximo da garota, da jovem e da mulher é o seu mordomo ômnico, Bob. Uma relação que se torna cada vez mais próxima ao mesmo tempo que em que aparenta ser perpetuamente a única.

Uma do ditos na BlizzCon sobre a história de Ashe é que ela teve seu destino fortemente definido por influência de Jesse Mcree, outro personagem jogável de Overwatch. Quem conhece bem a lore sabe que Mcree nunca foi flor que se cheire e até o momento em que teve que escolher entre ir preso ou trabalhar para a Overwatch foi um homem complicado, procurado pela justiça e com a cabeça a prêmio. 

De Mcree sabemos que deixou o mundo do crime, mas Ashe nitidamente apenas mergulhou mais fundo nesse universo.

Já adulta, Ashe fundou sua própria gangue, os DeadLocks, algo bem diferente dos Los Muertos da personagem Sombra. Ashe encontrara nos DeadLock nitidamente uma família, embora sua fome por poder e seu desejo por comandar possivelmente a inibiram de sentir-se próxima de seus subalternos. 

Aparentemente, em algum momento de sua vida, ou Mcree fez parte dos DeadLock, ou, no mínimo, teve muita proximidade com eles. O que fica explícito no curta "Reunião" ao demonstrar que conhecia, não apenas, Ashe, mas também Bob e suas habilidades (Mcree demonstra que Bob não possuía armas em seus punhos em seu último encontro). Outro ponto em que o curta mostra a relação de Ashe com Mcree é quando o cowboy encontra uma foto de ambos mais jovens saindo juntos.

Sacudindo o meta

Sabemos que os vídeos de demonstração de novos heróis nem sempre retrata como esses heróis serão nas gameplays, maximizando suas habilidades ao mostrar possibilidades, mas deixando de lado características mais importantes como as variações dos outros heróis em contornar as habilidades da novidade. É algo que em Heroes of the Storm é mais comum, mostrar tanto os pontos fortes quanto os pontos fracos de cada herói, algo que nos anúncios de Overwatch não acontece.

Das coisas que podemos ver sobre Ashe uma delas é que pontaria é algo primordial para se dominar a heroína (em se tratando de Overwatch, sabemos que nem todos os heróis exigem uma boa mira). Arremessar a dinamite pode ter dois efeitos destacados durante a conferência da BlizzCon, deixar que a dinamite exploda, o que leva um pouco mais de tempo, mas pode ser útil para situações de controle ou de fuga, ou adiantar a explosão, atirando na própria dinamite. Algo que nem de longe parece fácil.

A mecânica de empurrar outros heróis pode ser útil tanto para abates utilizando o cenário quanto para escapar de situações apertadas, podendo também ser utilizada no chão para realizar saltos grandiosos e alcançar lugares de difícil acesso. 

Os tiros de Ashe também são um pouco peculiares, visto que cada bala é recarregada uma a uma, tornando a necessidade de atenção e administração de tempo imprescindível. Ashe pode facilmente derrubar um herói tank, se souber quando e como atirar variando entre seu tiro primário ou secundário, assim como pode abater uma herói a uma distância significativa, bastando sabendo aproveitar destes mesmos diferentes estilos de disparo. Um bom tiro na hora certa pode livrar Ashe de diversas situações complicadas.

Ashe pode até ser uma personagem charmosa, com uma ótima dublagem tanto em sua versão inglesa como na versão portuguesa. Todavia, o personagem de destaque do primeiro dia da BlizzCon 2018 é o mordomo  B.O.B, alguém que até mesmo os desenvolvedores adoraram criar e trabalhar desde o conceito até o produto final.

Durante as partidas, os jogadores vão perceber que Ashe possui uma ultimate muito peculiar, sim estamos falando de B.O.B, que ao ser invocado corre, arremessa para o ar o primeiro jogador com quem entrar em contato fisicamente, além de se virar e atirar em quem quer que represente ameaça. Segundo os desenvolvedores, Bob é quase como que um outro membro da equipe. Sua presença, após invocado, não é tão breve como os inimigos adorariam que fosse e pode receber buffs, debuffs e curas como qualquer outro personagem. Outra coisa importante sobre o Bob é que ele também consegue capturar pontos. As possibilidades com o grandalhão são muitas, desde combar o "jogar inimigo ao ar" de B.O.B com uma mira bem precisa e tiros diretos de Ashe enquanto a vítima permanece no ar a combinar com ultimates de outro heróis aliados para fazer maiores estragos, a exemplo uma ult de Mcree.

Inicialmente B.O.B seria mais agressivo e muito mais arriscado, podendo praticamente enfrentar qualquer herói sozinho e contando, de fato, como um outro integrante do time, o que seria um problema injusto em partidas de Deathmatch, por exepmlo. Devidamente balanceado, o ômnico, que também tem sentimentos, adequou-se melhor aos outros heróis e ao sistema do jogo alcançando um ritmo mais seguro  para todos, e pasme, nas skins de Ashe, B.O.B também vai receber visuais para ele.

Conclusões

Como herói número 29, Ashe adentra para o time de mulheres poderosas ao colocar uma ladra, vilã e líder de gangue nas linhas de frente de Overwatch. Aproveite sua mobilidade para flanquear suportes ou suas habilidades para quebrar formações, abuse e use de B.O.B para captura de pontos e interrompa aquela ultimate irrante com tanta classe que até a Moira elogiaria, novas e grandes coisas podemos esperar de Ashe, assim como, segundo Jeff Keplan, novas coisas podemos esperar da robô salva por Mcree na cinemática "Reunião". Seria ela Athena? Jeff a chamou apenas de "robô misteriosa". Vamos esperar para ver os próximos capítulos dessa novela.

E você? O que achou da Ashe? Nos diga nos comentários e acompanhe mais novidades sobre a BlizzCon 2018 aqui, na Rede Blast.                                          




Comenta aí :)
Já possuo uma conta
Quero criar uma conta