Conheça a macabra floresta de Aokigahara, a famosa floresta da morte

Halloween esta chegando e nada melhor que conhecer um pouco das histórias sombrias da cultura nipônica. E claro que, quando a história tem uma pegada forte com a realidade ela se torna ainda mais interessante. Entre tantas, está a história da sombria e macabra floresta de Aokigahara, também conhecida como Floresta dos Suicidas, vem com a gente conhecer um pouco desse lugar nada normal!

23/10/2018 Última edição em 23/10/2018 às 18:33:48

Yoo Pessoal!!!

Halloween está chegando e nada melhor que conhecer um pouco das histórias sombrias da cultura nipônica. E claro que, quando a história tem uma pegada forte com a realidade ela se torna ainda mais interessante, por isso hoje escolhi escrever sobre a sinistra Floresta de Aokigahara, um lugar muito interessante, assustador, mas ao mesmo tempo exuberante.

Para quem não conhece a Floresta de Aokigahara, ou também conhecida como floresta dos suicídios, fica localizada na base do monte Fuji e faz parte de uma cobertura florestal que compõe o parque natural de JUKAI no Japão. Com 35 km² de extensão, nessa floresta pode ser encontrada diversas cavernas de gelo e vento, e o interessante é que elas não degelam, mesmo durante o verão, além disso nesta floresta não é possível encontrar animais, o que causa um silêncio sepulcral, quem adentra em seu interior só consegue ouvir seus próprios passos sobre folhas secas e galhos e facilmente se vê laços amarrados nas árvores, onde os suicidas se enforcaram. Para onde você quer que você olhe toda a paisagem parece ser sempre a mesma, bússolas, celulares e GPS não costumam funcionar corretamente lá, fazendo com que seja extremamente fácil as pessoas perderem-se, resumindo, uma floresta digna dos filmes da Bruxa de Blair, só que em versão real!

Com todas essas características não é de se esperar que lendas de monstros, fantasmas e assombrações que vagam nessa floresta sejam contados e transmitidas as pessoas que moram ao seu redor. E como se tudo isso não bastasse para essa floresta já ter um ar sombrio, ela ainda é o local onde ocorrem mais suicídios no Japão. Aokigahara é um bosque tão fechado que, quando o sol brilha sobre ele, a luz que penetra mal consegue passar pelos vãos entre as copas das árvores. Depois de um tempo caminhando em meio a vegetação baixa, as árvores vão se fechando de tal maneira que é impossível ouvir algo além dos sons que a própria natureza produz, é um isolamento total dos sons do mundo lá fora, talvez dando, assim, um ar de tranquilidade e cumplicidade aos que pretendem tirar a própria vida.

Talvez por essas peculiaridades as pessoas escolham esse lugar para refletir, o que pode terminar em um final trágico. Todos os anos as autoridades encontram dentro de Aokigahara uma média de trinta corpos, por conta disso costuma-se dizer que os espíritos dos suicidas para sempre vagueiam pela área.

Imagine-se em um local assim, só podendo ouvir o som da floresta e você pensando o que poderia ser, ou se algo estaria vindo em sua direção ou se é somente o barulho das árvores causado pelos ventos, com toda certeza é um sensação angustiante, além disso, a floresta tem um aspecto fantasmagórico, cercada ainda hoje por mistérios, que por mais que tentem, as pessoas não conseguem entender. Por todos os lados se veem objetos pessoais que pertenceram aos suicidas que ali foram apenas para morrer, o que dá um tom ainda mais sinistro a esse lugar.

Segundo contam, o local ganhou uma grande popularidade por causa de um romance da escritora Seicho Matsumoto, publicado em 1960, chamado Kuroi Jukai (Mar Negro de Árvores, numa tradução livre). A história bem ao estilo Romeu e Julieta, termina com o casal de namorados se suicidando naquela floresta.

Embora tenha ocorrido um aumento de suicídios após o romance ser publicado, não é de hoje que se especula sobre a fama dessa floresta amaldiçoada. Existem registros de que, por volta de 1830, quando o Japão passava por um gigantesca dificuldade econômica, as famílias de camponeses famintos abandonavam bebês e idosos inválidos no bosque para que eles morressem e, assim, diminuísse o número de bocas para alimentar na família. Um ato bárbaro, porém necessário, e que talvez tenha dado origem a todas as histórias que rodeiam Aokigahara, já que, há pelo menos duzentos anos essa floresta carrega a fama de abrigar os yurei – como são chamadas as almas das pessoas que morreram antes da hora. 

Os moradores locais acreditam que os espíritos dessas pessoas que foram abandonados lá para morrer passeiam com os espíritos daqueles que tiraram suas próprias vidas, além disso acreditam que a morte está tão impregnada na floresta que o próprio solo e as árvores absorveram o mal do lugar e que elas impedem que aqueles que nela entram encontrem seu caminho para fora. A escuridão do lugar enreda os viajantes e os prende para que se percam e nunca mais encontrem a saída de Aokigahara.

Nesse lugar macabro, alguns profissionais trabalham apenas para buscar corpos de suicidas. Pelotões de busca, formados por voluntários e bombeiros, se revezam em turnos e sempre acabam encontrando corpos em diferentes estágios de decomposição. Em diversas partes da floreta é possível encontrar placas com mensagens alertando aos possíveis visitantes: “Por favor, reconsidere”, “Antes de decidir morrer, consulte a polícia”, “Volte e não faça isso!” ou ainda "Sua vida é um dom precioso. Por favor, pense nos seus pais, irmãos e filhos. Não guarde os problemas para si. Não passe por isso sozinho. Contate a Associação de Prevenção de Suicídio".

Não é difícil achar por aí alguns contos sobre essa floresta, tamanho o fascínio que o povo japonês tem pelo sobrenatural. Um deles conta que: 

Quando os guardas da floresta encontram o corpo de uma pessoa, eles o levam para uma sala especial projetada para cadáveres que podem fica ao lado da floresta. Lá, o corpo será colocado em uma cama, para que no próximo dia o corpo possa ser levado para o local adequado. O que é mais interessante, porém, é que um dos guardas tem que dormir na mesma sala em que o corpo está. Isso pode parecer surpreendente, mas as lendas dizem que se o cadáver é deixado sozinho na sala, seu Yurei vai passar a noite toda nos dormitórios gritando e perturbado a todos que lá estiverem. Para escolher o guarda que passará a noite no local, os guardas geralmente jogam pedra-papel-tesoura (janken em japonês) decidindo assim, quem será o azarado para dormir ao lado do corpo. Isso mostra o quanto os japoneses acreditam e como eles têm medo das almas caídas, eles preferem dormir perto do corpo, em vez de correr o risco de perturbar um yurei.

 Já outros contam que:

Um certo dia um caminhoneiro que estava dirigindo em direção a um templo localizado na parte alta da floresta, avistou um homem, em um árvore, enforcado. Ao se aproximar para ver se o rapaz ainda estava vivo, e ao olhar para o seu lado direito se deparou com mais 50 corpos penduras pelo pescoço nas árvores retorcidas que compõe a floresta, ao mesmo tempo que ouvia vozes que o chamam para interior de Aokigahara. Assutado, o caminhoneiro fugiu sem pensar duas vezes.

Rob Gilhooly, jornalista do Japan Times, conta ter ouvido um berro horrível e sofrido, que o congelou de medo. E ao seguir o som para saber de onde ele veio encontrou o corpo de um homem, claramente falecido a um bom tempo. Ele diz que o corpo pode não ter berrado, mas sua alma sim.

Um casal americano encontrou um monge budista que os auxiliou a sair do meio da floresta, quando os dois estavam perdidos e assustados. Chegando na cidade mais próxima, souberam da lenda de um monge que mora na floresta e impede que as pessoas cometam suicídio, outros acreditam que ele seja um espírito iluminado que impede as pessoas de se matarem.

Se você ficou curioso em conhecer mais de perto esse lugar, a região da floresta de Aokigahara está disponível no Google Maps, inclusive com o recurso de Street View e você pode andar pelas principais trilhas da floresta e sentir um pouquinho mais de perto a sensação que muitos sentiram ao entrar neste misterioso local. Basta clicar no bonequinho amarelo e arrasta-lo até o local que deseja conhecer de perto. Então se você tiver coragem pegue sua mochila e tenha um bom passeio. Muaahahahaha!

Até a próxima pessoal!




Comenta aí :)
Já possuo uma conta
Quero criar uma conta