BATMAN NINJA NA NETFLIX, Decepção?

Então você pega um clássico das histórias em quadrinho, joga ele na era feudal do Japão, torna ele um ninja e espera que dê tudo certo. Pois é, foi isso que fizeram com o Batman. Será de que deu certo? Vem com a Blast que você vai descobrir qual foi o grande erro da Netflix!

04/11/2018 Última edição em 04/11/2018 às 17:49:12
Batman Ninja

Ficha técnica:

Ano de produção – 2018

Dirigido por Jumpei Mizusaki

Duração 85 minutos

Roteiro – Kazuki Nakashima

Batman Ninja, o que pode dar errado?

Existem muitas coisas neste mundo que não deveriam ser misturadas, e uma delas com toda certeza é o nome do Batman e a questão de “ninjas”. Não vou dizer que o desenho de todo é ruim, mas sim, ele não agrada aos fãs de Batman, não aqueles fãs raízes, como agora são chamados os fãs mais puristas.

É preciso observar que a premissa do anime/desenho é bem chamativa. Ver o Batman na era feudal do Japão, lutando sem suas tecnologias, contra todos os vilões clássicos (Coringa, Arlequina, Pinguim, Hera Venenosa, Bane, Exterminador e também Gorila Grood)  e ainda com seus ajudantes (Asa Noturna, Robin Vermelho, Robin, Capuz Vermelho e Mulher Gato).

Mas aí você percebe que isso pode ser um erro épico.

Vamos a história.

Gorila Grodd criou um equipamento de dominação global (o que não é novidade). Para isso reuniu os mais diversos vilões e acabou sendo descoberto por Batman e toda a sua trupe. Ocorre que por intervenção do Batman o sistema apresenta falha e acaba transportando, todos para a era feudal do Japão. O Batman, por ter sido o último a ser absorvido pela máquina, chega dois anos depois que todos.

Até aí, você realmente pode achar bem interessante. Então vemos Batman “todo cheio de tecnologias”, num mundo arcaico e no qual ele é considerado um assassino a ser morto.

Não muito depois ele descobre que os seus inimigos se tornaram Daimyos (senhores feudais japoneses) e que estão em luta entre si para unificar o Japão e dominar o país. O que pode ser um grande problema para eles. Neste meio, ele acaba encontrando o Coringa e sendo salvo pela Mulher Gato, Selina.

Ela o leva até Alfred (que incrivelmente também foi levado para o Japão). E lá eles revelam para Batman que o Batmóvel está intacto e pode ser usado contra o Coringa, a fim de conseguir usar a máquina do tempo que está em poder dele para voltarem para o mundo atual. Porém, as tentativas de Batman fracassam e ele é resgatado pelo Clã-Bat.

O Clã vive e aguarda o cumprimento de uma lenda que diz que um dia um homem morcego iria vir àquelas terras para salvar a todos. Pois é.

A partir daí vemos Batman lutando contra si para admitir que a tecnologia não é a resposta para tudo, vemos Coringa e os outros vilões brigando entre si para derrotarem uns aos outros e tomarem o poder e vemos o quanto o anime desanda completamente.

Não vou contar o final, mas quero alertar que há cenas surpreendentes, principalmente quando o Batman começa a fazer ninjutsus.

O que não gradou?

Talvez o pior de todos os fatos tenha sido a criação de robôs gigantes no Japão feudal. Se o anime tivesse se atentado apenas as lutas de solo, acho que teria sido muito melhor. Ver o Coringa e o Batman lutando de forma brutal é realmente muito instigante e animador. Mas quando robôs gigantes ao melhor estilo Power Ranger aparece, bem, aí você sabe que não deu nada certo.

Há também mudanças bruscas na animação, sendo usados diversos tipos de recursos e isso acaba gerando um pouco de desagrado ao espectador, que espera que a animação tenha pelo menos um padrão. As alterações na animação, ao contrário do que se esperava, não agradam muito.

Por fim, há situações que realmente fogem sequer da lógica, como “macacos” que formam um “robô gigante” e morcegos que formam um “Batman gigante”. Sinceramente isso causa um pouco, se não muito, de decepção.

O que realmente agradou?

Agrada ver os personagens clássico em outra roupagem, as personagens femininas com muito “peito” (o que é típico de anime), os personagens masculinos mais caracterizados ou masculinizados, sem perder os traços básicos.

Agrada muito o jeito como se coloca o Batman, isto é, colocar um herói com suas crises de identidade, de confusão, de dúvidas em face de suas próprias habilidades. Isso agrada bastante.

A história do anime poderia ter sido muito melhor distribuída e desenvolvida, o que pode deixar os fãs de Batman decepcionados, uma vez que a história não acontece à noite, não acontece em Gotham, não está atrelada à nenhuma vertente da DC e infelizmente não dá a devida atenção aos personagens, principalmente aos vilões, que perdem toda a vez para o Coringa e Arlequina, que possuem inclusive um arco próprio.

Mas, vale a pena assistir e ver o Batman fazendo “ninjutsus” no final, como um ninja deve fazer. Por isso, assista por sua conta e risco, pois você foi avisado.

 




Comenta aí :)
Já possuo uma conta
Quero criar uma conta