Apresento-lhes o Fugu: uma iguaria da culinária japonesa bem hardcore

Os chineses pode até ganhar nas iguarias exóticas, mas os Japoneses têm uma coisa muito mais hardcore e que é um prato cheio para quem gosta de adrenalina.

01/07/2018 Última edição em 01/07/2018 às 22:07:55

Olá pessoal!

Hoje é dia de conhecer um pouquinho da cultura oriental. E claro que nesse sentido o Japão é conhecido pela sua riquíssima cultura e pelos seus costumes bem particulares que sempre nos encantam e nos surpreendem (às vezes mais surpreendem do que encantam).

Na culinária não é diferente. Os chineses podem até ganhar nas iguarias exóticas, afinal churrasquinho de insetos e carne de cãezinhos (coitadinhos T.T) são suas especialidades, mas os Japoneses têm uma coisa muito mais hardcore, que é um prato cheio para quem gosta de adrenalina. Apresento-lhes o Fugu! O nome parece diferente, mas aposto que você conhece essa criaturinha por outro nome: baiacu.

Esse bichinho, que é um prato bem exótico no Japão, já apareceu em várias animações como Jackie Chan e Pokémon, e no cinema então nem se fala! Mas você pode estar se perguntando, por que comer essa criaturinha causaria tanta adrenalina? Então me responda, teria coragem de comer um peixe que se não for preparado da maneira correta poderia te matar? Aposto que pensaria duas vezes antes de experimentar, não é?!

Por isso o Fugu deve ser preparado enquanto ainda está vivo para não envenenar quem vai saborear a iguaria. Considerado como o segundo vertebrado mais venenoso do planeta, a lei no Japão estritamente controla a preparação desse peixe nos restaurantes. Apenas chefs que se qualificam após um treinamento de três ou mais anos são liberados a prepará-lo. É necessária muita habilidade para tirar as partes venenosas do peixe sem contaminar toda a carne. Há tanto veneno no fígado que o chef não pode por lei jogá-lo em lixo comum. Após a retirada, o órgão deve ser colocado em um compartimento fechado e isolado. Uma empresa especializada recolhe os fígados e os incinera. Esse cuidado todo é para evitar que pessoas possam comer essas parte por engano.

Apesar de ser considerado muito seguro comê-lo em restaurantes especializados, no ano de 2017 foram registrados 27 casos de envenenamento e a morte de uma pessoa que tentou preparar esse prato em casa (por isso Blasters não tentem fazer isso em casa).

A preparação do bichinho não é uma coisa muito agradável de ser ver... No vídeo que você pode conferir abaixo (advirto que as imagens podem ter cenas consideradas fortes para alguns e o procedimento pode ser considerado bastante cruel) mostra como essa iguaria é preparada pelas mãos de um chef com 35 anos de experiência manipulando esse tipo de peixe.  

Se você teve curiosidade e assistiu ao vídeo, pode ver que o Fugu chega vivo à cozinha do chef. Tudo começa com o chef dando uma bela cacetada na cabeça do animal. Depois, as barbatanas são retiradas, assim como a boca e as narinas. O próximo passo é eliminar a pele, as vísceras e os olhos do peixe que, conforme explica o cozinheiro, são extremamente venenosos e, por essa razão devem ser removidos e descartados com bastante cuidado.

Só depois desses processos e de lavar muito bem a carne o chef começa a prepará-lo. O Fugu é servido principalmente como sashimi e chirinabe. Mas também pode ser servido em saladas, como churrasquinho e até cozido. O interessante é que o chef não consegue eliminar por completo a toxina, mas sim reduzi-la. Os clientes experimentam efeitos como euforia e sensações de formigamento. Mesmo assim a carne do peixe é dita como tendo um sabor suave e delicado. Os pratos geralmente custam entre 2.000 e 5000 ienes e normalmente são servidos em restaurantes especializados no preparo.

E aí tem coragem de encarar? 




1 comentário(s)
Já possuo uma conta
Quero criar uma conta
kodo no kami
2 semanas atrás
ai um peixe que vale a pena experimentar pelo menos uma vez na vida (se não for a unica vez nela kkk)